Política

Legado de Neto levado ao Dundo

A cidade do Dundo está preparada para acolher, domingo, o acto central do 17 de Setembro, Dia do Fundador da Nação e do Herói Nacional que decorre sob o lema “Com os ideais de Neto, diversifiquemos a economia de Angola”.

Actividades têm como lema “Com os ideais de Neto, diversifiquemos a economia de Angola”
Fotografia: Edições Novembro | Arquivo

As comemorações do dia 17 de Setembro começaram no dia 10, em todo o país e nas missões diplomáticas e consulares de Angola com objectivo de enaltecer a figura e a obra do Dr. António Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola, reverenciar a sua contribuição na liberdade de Angola e de África, em particular, a região Austral, bem como os esforços para a conquista da paz em todo o território nacional. A data lembra igualmente o legado político do primeiro Presidente da República de Angola e do Herói Nacional.
O período de celebrações da data decorre até ao dia 25 de Setembro. Num memorando, o Ministério da Administração do Território indica que a celebração dos 95 anos sobre o nascimento de Agostinho Neto vem reconhecer as suas qualidades enquanto humanista, médico, homem de letras e, acima de tudo, nacionalista convicto e entregue de corpo e alma às causas da pátria angolana.
“A visão estratégica do Presidente Dr. António Agostinho Neto está patente nos inúmeros discursos que legou aos angolanos”, destaca o documento, sublinhando que, nas suas múltiplas intervenções públicas, algumas hoje achadas soltas e outras agrupadas em compêndios, Agostinho Neto manifestou uma preocupação permanente com o futuro de uma Nação que, vencida a luta pela Independência, preparava-se para uma batalha ainda maior: a luta pelo desenvolvimento, pelo progresso.
“Não fosse ele um médico, teimava em, discurso após discurso, passar a receita para que fosse possível, então, garantir para cada angolano um futuro melhor”, lê-se no memorando, sublinhando que Agostinho Neto elencou, entre as suas prioridades, a formação do homem, fundada numa educação de qualidade.
Neto defendeu, igualmente, a prestação de serviços de saúde à escala nacional, perspectivou, já na altura, uma política económica assente na diversificação, através da aposta na Agricultura que seria, como disse inúmeras vezes, a base para que a Indústria pudesse ser o factor decisivo.
“As políticas públicas, pelas quais se guiam o desenvolvimento de Angola, continuam a seguir esse caminho há bastante traçado pelo Presidente Agostinho Neto”, sublinha o documento para acrescentar que, com as eleições gerais realizadas a 23 de Agosto último, os angolanos caucionaram um programa de Governo, cujos pilares assentam, justamente, na diversificação da economia.

Prestígio internacional


A figura de Agostinho Neto goza de prestígio também no estrangeiro. Recentemente, a Organização de Solidariedade com os Povos da Ásia, África e América Latina atribui-lhe, em Havana, a título póstumo, a Ordem de Solidariedade “El Mehdi Ben Barka”.
Criada há 51 anos, a organização mantém vivos os objectivos e princípios da sua fundação, entre os quais se destaca a luta dos países dos três continentes contra a dominação colonial e imperialista e a defesa do direito à independência de cada povo.
Com sede em Havana, a organização conta com um secretariado executivo internacional, formado por quatro representantes de cada um dos três continentes, detém desde 1998 a condição de ONG, com status consultivo especial no Conselho Económico e Social da Organização das Nações Unidas (ONU).
Uma das maiores conquistas da organização é a revista Tricontinental, seu órgão oficial, que surgiu quando esta organização editou o texto da mensagem de Ernesto Che Guevara, num folheto em que anunciava numa das suas páginas a próxima saída da publicação.
A Organização de Solidariedade com os Povos da Ásia, África e América Latina tem uma estreita relação de intercâmbio e de colaboração com um grande número de forças políticas a nível mundial e tem o respeito e o apoio internacional devido ao trabalho que desenvolve.

Tempo

Multimédia