Política

Líderes mundiais em Nairobi discutem produção sustentável

Vários Chefes de Estado, ministros, líderes empresariais, quadros das Nações Unidas e representantes da sociedade civil de vários países discutem, desde segunda feira, em Nairobi, Quénia, padrões sustentáveis de produção e consumo.

Debates e lançamentos de pesquisas marcam a cimeira sobre o clima em Nairobi
Fotografia: José Cola| Edições Novembro

Mais de 4.700 pessoas participam na quarta Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, que promove debates e lançamentos de pesquisas científicas sobre lixo marinho, economia circular e mudanças climáticas até o final da semana.
O ponto mais alto ocorre hoje e amanhã, com a realização da 3ª edição da cúpula do One Planet, iniciativa do Presidente da França, Emmanuel Macron, para enfrentar os desafios das mudanças climáticas. A ministra do Ambiente, Paula Francisco, representa Angola no evento.
De acordo com um comunicado do Ministério do Ambiente, a delegação angolana encontra-se desde segundafeira na capital queniana. Nesta primeira edição regional, o One Planet Summit destaca o papel único de África enquanto parceiro global que enfrenta desafios e oportunidades, especialmente na
área de soluções de adaptação inovadoras e resiliência.
Responsável por apenas 4 por cento das emissões globais de gases de efeito estufa, o continente africano vê 65 por cento da sua população afectada
directamente pelas mudanças climáticas. No quadro dos compromissos assumidos, vários Chefes de Estado e personalidades internacionais vão falar, na cimeira, incluindo os Presidentes francês, Emmanuel Macron, e do Madagáscar, Andry Rajoelina, a vice-presidente interina do Banco Mundial, Kristalina Georgieva, e o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento, Akinwumi Adesina.
O Presidente da República Democrática do Congo, Félix-Tshisekedi, também fez uma apresentação em torno do tema “Investir numa das maiores riquezas africanas: a protecção da natureza”.
A cimeira reúne líderes empresariais e figuras inspiradoras da juventude e da sociedade civil, que mostrarão realizações concretas e iniciativas inovadoras,
gerando novas coligações e novos compromissos.
Até ao final de semana, os participantes vão discutir novas políticas, tecnologias e soluções inovadoras para alcançar o consumo e a produção sustentáveis.
Os resultados do encontro vão definir a agenda global ambiental e impulsionar as oportunidades de sucesso do Acordo de Paris e da Agenda 2030. O evento terá a divulgação de novas descobertas científicas sobre o estado do meio ambiente e das soluções para os desafios.
Na véspera da reunião, a directora-executiva interina da ONU para o Meio Ambiente, Joyce Msuya, fez um apelo às nações para que virem o jogo e comecem a implementar mudanças concretas. “O tempo está a esgotar-se. Já se foi o tempo para promessas e politicagem. Já se foi o tempo de compromissos com pouca responsabilização. O que está em jogo são a vida e a sociedade, como a maioria de nós conhece e usufrui hoje”, escreveu a dirigente numa carta aos Estados-membros.

Tempo

Multimédia