Política

Luísa Damião advoga crescimento do partido

Edna Dala

A vice-presidente do MPLA defendeu ontem, em Luanda, a necessidade de se aprimorar mais os dados estatísticos do partido e pautar pelas campanhas de crescimento da organização, com destaque para os cidadãos com boa conduta que podem oferecer alguma valência àquela força política.

Fotografia: Edições Novembro

Luísa Damião, que falava aos militantes durante uma visita de constatação no Comité de Acção do Partido (CAP) 5143, do distrito urbano de Kalawenda, no Cazenga, sublinhou que as campanhas de crescimento no seio do MPLA devem ser sempre acompanhadas de uma formação política, ideológica e patriótica.
Na ocasião, a dirigente partidária realçou, igualmente, a necessidade de se primar pela coesão e a união no seio do partido. Afirmou que todas as vitórias conquistadas até ao momento pelo MPLA deveram-se ao facto do partido continuar unido.
“Não devemos aceitar que alguém nos queira dividir porque o MPLA é um partido forte e deve continuar coeso para responder às aspirações e aos anseios dos angolanos”, defendeu Luísa Damião, acrescentando que o MPLA só continuará a ser forte se os CAP estiverem bem organizados.
Durante a visita que teve como objectivo inserir mais o partido dentro das comunidades, Luísa Damião garantiu que não pretende ser uma vice-presidente de gabinete, mas “cada vez mais próxima dos seus militantes” .
A “número dois” na hierarquia do MPLA lembrou que um partido que se quer dinâmico todos os dias e cada vez mais forte e democrático deve primar pelo diálogo, pois as opiniões de cada militante são importantes para o fortalecimento do partido, o que exige mais organização dos comités.Luísa Damião realçou que o partido tem grandes desafios preconizados para este ano, com destaque para realização da assembleia dos militantes, conferências intermédias, congresso extraordinário, as eleições autárquicas em 2020 e gerais em 2022.
“São grandes os desafios e para o cumprimento com êxito dos mesmos, as nossas estruturas têm que estar bem organizadas”, defendeu a vice-presidente do MPLA, que se referiu ainda ao facto de, este ano, ter lugar o VIII Congresso Ordinário da organização juvenil do MPLA.

Tempo

Multimédia