Política

Mais de 60 escolas vão ser erguidas no Cuando Cubango

Carlos Paulino | Menongue

Ao todo, 68 novas escolas do ensino primário vão ser construídas na província do Cuando Cubango, à margem do programa de investimentos públicos (PIP) de 2019, com vista a inserir o maior número possível de crianças que estudam em locais improvisados e outras que se encontram fora do sistema normal de ensino na província.

Muitos alunos do Cuando Cubango estudam debaixo de árvores ou obras inacabadas
Fotografia: Nicolau Vasco|Edições Novembro

A informação foi avançada pelo vice-governador da província para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Bento Francisco Xavier, que na oportunidade agradeceu o gesto do Presidente da República de autorizar a construção das referidas escolas. Bento Xavier garantiu que o Governo do Cuando Cubango já definiu as áreas onde serão construídas as 68 escolas, a maior parte das quais no meio rural e em zonas de difícil acesso, onde há falta de infra-estruturas do género.
A par das 68 escolas a serem construídas, o Governo da província, no quadro do PIP de 2019, também tem agendada a construção de novas escolas, com realce para as do primeiro e segundo ciclos de ensino, com oito a 12 salas de aula e residências para os professores a nível de todos os municípios.
Por seu turno, o director do Gabinete Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Miguel Kanhime, informou que o sector que dirige controla mais de 26 mil crianças que pretendem ingressar pela primeira vez no sistema de ensino e perto de duas mil que ainda estudam em locais improvisados, designadamente capelas, jangos comunitários, obras inacabadas, igrejas e debaixo das árvores.
Miguel Kanhime disse existir, a nível da província, cerca de 20 escolas precárias de construção de adobe, pau-a-pique e de chapas de zinco, que albergam mais de 700 alunos de diferentes subsistemas de ensino nos nove municípios que compõem o Cuando Cubango.
A construção das 68 escolas orientadas pelo Presidente da República, disse, vai permitir reduzir significativamente o fenómeno de crianças fora do sistema de ensino, assim como de alunos que aprendem a ler e escrever em condições inadequadas.
No presente ano lectivo, estão matriculados, no Cuando Cubango, mais de 189 mil alunos da iniciação à 12ª classe em 278 escolas, que correspondem a 1.500 salas de aula que são asseguradas por 3.790 professores.
Em função das fortes chuvas que caem, sublinhou Miguel Kahime, o Gabinete Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia está a trabalhar com as autoridades tradicionais, pais e encarregados de educação naquelas localidades onde não existem escolas de construção definitiva, para que se possa construir alguns jangos comunitários ou estabelecimentos de adobe e de pau e capim, para que os alunos não estudem ao ar livre.
Outro ganho a ser registado pelo sector da Educação no Cuando Cubango tem a ver com o ingresso nos próximos dias de 1.203 novos professores apurados no concurso público que, neste momento, está a decorrer em todo o país, com a entrega de toda a documentação pessoal e escolar dos candidatos apurados.

Tempo

Multimédia