Política

Marinha e órgãos de segurança juntos no combate aos crimes

A Marinha de Guerra Angolana (MGA) vai continuar a colaborar com os órgãos de defesa e segurança “no combate cerrado” aos crimes transfronteiriços, reafirmou ontem, no Soyo, o comandante da Região Naval Norte, vice-almirante Noé Rodrigues Magalhães.

Comandante da Região Naval Norte apontou o Soyo como rota adoptada para o negócios ilícitos
Fotografia: João Cuti | Angop

Ao discursar no acto das comemorações do 42º aniversário da Marinha de Guerra Angolana assinalado ontem, Noé Magalhães disse que, pela sua complexa localização geográfica, o município do Soyo constitui uma rota preferencial para os cidadãos nacionais e estrangeiros que enveredam por negócios ilícitos.
De acordo com o vice-almirante, os efectivos da MGA vão continuar a colaborar com as autoridades administrativas locais, Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), Exército e a Polícia de Guarda Fronteira na fiscalização e vigilância da orla marítima, visando garantir a segurança e defesa das zonas económicas especiais da região. Noé Magalhães lembrou que é missão da Região Naval Norte defender a integridade da Nação e garantir a manutenção dos recursos petrolíferos em offshore, bem como combater outros crimes que ocorrem ao longo da costa marítima e no canal fluvial do rio Zaire.
“O município do Soyo é uma zona geo-estratégica da economia do país, daí a necessidade de se reforçar a sua segurança”, defendeu o comandante da Região Naval Norte, para quem há a necessidade de haver mais investimento na formação de quadros e na aquisição de novos equipamentos.

Tempo

Multimédia