Mendes de Carvalho morte de um resistente


14 de Fevereiro, 2014

Fotografia: Paulino Damião

O bureau político do MPLA manifestou o seu sentimento de pesar pelo falecimento do nacionalista e escritor Agostinho André Mendes de Carvalho “Uanhenga Xitu”, ocorrido ontem em Luanda, vítima de doença.

O MPLA considera Agostinho André Mendes de Carvalho um “nacionalista, combatente da luta pela independência nacional de Angola e distinto militante do partido”.
Com 89 anos, Mendes de Carvalho era enfermeiro de profissão e exerceu clandestinamente, nas células do MPLA, actividades políticas, visando a independência de Angola, tendo sido preso e julgado no conhecido “Processo dos 50”, em 1959. Foi condenado pelas autoridades coloniais portuguesas a 12 anos de prisão maior, a medidas de segurança de seis meses, a três anos prorrogáveis e à perda de direitos políticos, por 15 anos.
Depois da proclamação da independência nacional, a 11 de Novembro de 1975, exerceu, entre outras, as funções de ministro da Saúde, de comissário (governador) provincial de Luanda, de embaixador na Alemanha e de deputado à Assembleia Nacional, pelo grupo parlamentar do MPLA. 
Com o pseudónimo literário de Uanhenga Xitu, Mendes de Carvalho foi também um eminente contador de histórias populares, em que vincou, como preocupação primária, o estabelecimento de uma ligação directa com o povo, valendo-lhe a atribuição em 2006 do Prémio Nacional de Cultura e Artes, entrando na galeria dos melhores autores da história literária do país. “Nesta hora de profunda comoção, o bureau político, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, inclina-se perante a memória de Agostinho André Mendes de Carvalho e endereça à família enlutada os seus mais sentidos pêsames”, refere o comunicado.
O ministro das Relações Exteriores também endereçou uma nota de condolências pelo falecimento de Mendes de Carvalho que, refere, se destacou no processo de libertação do país, quer no período que antecedeu a independência, quer posteriormente, em várias funções no aparelho do Estado e como diplomata.

Reacções à morte

Em declarações ao Jornal de Angola, Ngola Kabangu, antigo presidente e deputado da FNLA, considerou que Angola perdeu um dos seus melhores filhos. “Foi com muita tristeza que tomei conhecimento do falecimento de Agostinho Mendes de Carvalho. Conheci-o no Bairro Operário e mais tarde veio a tornar-se um grande nacionalista, combatente da liberdade e homem do povo”, recordou o político.
O político lembrou-se ainda de ter trabalhado com Mendes de Carvalho há cinco anos aquando da refundação da Liga Africana, sendo Mendes de Carvalho presidente da mesa da assembleia-geral e Ngola Kabangu vice-presidente.
“Não restam dúvidas de que foi uma grande figura, prestou serviços relevantes à Nação e foi um homem de cultura”, reconheceu o antigo líder da FNLA. Depois de manifestar profundos sentimentos de pesar pela morte do político e escritor, Ngola Kabangu disse esperar que a Nação reconheça Mendes de Carvalho como “um grande cidadão”.
O porta-voz da UNITA, Alcides Sakala, disse que o país perdeu “um grande homem” que deu a sua contribuição na luta de libertação nacional. Mendes de Carvalho, referiu, foi um homem que soube colocar os interesses da Nação acima dos interesses partidários. “Vamos sentir muito a sua falta”, concluiu.
O secretariado executivo nacional do PRS emitiu uma nota de condolências onde também destaca as qualidades políticas e pessoais do político e escritor. A direcção do partido liderado por Eduardo Kuangana considera Mendes de Carvalho um verdadeiro nacionalista.
“Era um homem que amava Angola e o seu povo e não tinha fronteiras político-partidárias. Acolhia a todos e era uma verdadeira reserva mental, cujo vazio não é fácil de preencher”, considera o PRS.
O quarto maior partido no Parlamento escreve ainda que “os homens que deixam obras para a vida nunca morrem” e sublinha que “o mais velho Mendes, como carinhosamente o tratávamos, deixou obras nas quais muitos angolanos se revêem”.
O Governo Provincial de Luanda considera que Mendes de Carvalho é sempre lembrado pela simplicidade e humildade dos seus gestos e actos, factos que o tornam um “gigante da história do país”.
Agostinho André Mendes de Carvalho é pai do vice-governador de Luanda para a Área Política e Social, Adriano Mendes de Carvalho, e do líder da bancada parlamentar da coligação CASA-CE, André Mendes de Carvalho “Miau”.

capa do dia

Get Adobe Flash player


FALTAM 26 Dias

Saiba Mais

NEWSLETTER

Receba a newsletter do Jornal de Angola no seu e-mail:

SIGA-NOS RSS

MULTIMÉDIA