Política

Milhares de bilhetes de identidade são emitidos

Joaquim Júnior | Uíge

Mais de 12 mil bilhetes de identidade foram emitidos em 2016 na área de Identificação Civil e Criminal que funciona nos Serviços Integrados de Atendimento ao Cidadão (SIAC) do Uíge, informou o director da instituição.

Área de Identificação Civil e Criminal ampliou a cobertura e melhorou o atendimento
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Justino Lucas disse que no Uíge o SIAC continua a cumprir os desígnios da sua criação, de resolver os problemas da população de forma dinâmica, humanizada e personalizada.
As unidades de serviços públicos que operam na instituição deram resposta positiva a um total de 22.468 solicitações, sendo que a área de Identificação foi a que mais solicitantes recebeu.
Na secção de Registo Civil foram lavrados 2.039 assentos de nascimento e atribuídas as cédulas pessoais aos requerentes.
O trabalho desenvolvido na instituição contribuiu de forma significativa para o cumprimento do Decreto Executivo que orienta a massificação do registo civil e da emissão de Bilhetes de Identidade, para garantir a cidadania das populações.
“A nossa maior produtividade durante o período recaiu na emissão de Bilhetes de Identidade. Apesar das dificuldades financeiras que marcaram o ano, creio que conseguimos atingir as aspirações da população”, disse. No SIAC do Uíge, a Administração Geral Tributária (AGT) concedeu 4.905 números de Identificação Fiscal (NIF) aos solicitantes, enquanto os serviços de Viação e Trânsito atribuíram 1.252 documentos, entre cartas de condução, verbetes provisórios, livretes e outros.
Em relação aos serviços privados, que inclui os bancos e seguradoras, o registo é de 197.294 pessoas atendidas. “Satisfazer as necessidades do cidadão em termos de atendimento é sempre muito difícil. Mas os nossos funcionários são instruídos no sentido de apresentarem sempre uma postura que dignifique o cidadão como o alvo das nossas actividades”, referiu.
Justino Lucas considerou positiva a movimentação de jovens interessados em cadastrar as suas capacidades profissionais na Unidade de Intermediação de Mão-de-obra (UIMO), como forma personalizada de aguardar por um emprego. Em 2016, a UIMO registou 180 jovens com formação técnico-profissional em várias áreas.
Os indicadores são positivos, porque a Unidade de Intermediação de Mão-de-obra funciona no SIAC do Uíge há apenas um ano e a adesão é boa.
“Procuramos fazer compreender aos nossos jovens que temos aqui um pequeno centro de emprego que interage com os empresários locais na procura de funcionários qualificados. Também trabalhamos em articulação com o CLESE e o INEFOP, que encaminham os seus formandos para se registarem na nossa base de dados”, acrescentou.
No SIAC do Uíge funcionam os serviços de Notariado, Registos Civil, Comercial, Predial e de Propriedade Automóvel, Identificação Civil e Criminal, Administração Geral Tributária, Imprensa Nacional, Ficheiro das Denominações Sociais, Viação e Trânsito, Instituto Nacional de Estatística e o Instituto Nacional de Segurança Social. Outros serviços disponíveis são os da Unidade de Intermediação de Mão-de-obra (UIMO), Registo Nominal de Trabalhadores (RENT), além dos bancos e seguradoras.

Tempo

Multimédia