Política

Milhares de habitantes passam a ter água potável

Carlos Paulino | Cuelei

Mais de 140 mil habitantes das zonas rurais na província do Cuando Cubango vão beneficiar de água potável, com o lançamento oficial da primeira pedra para a construção de 50 sistemas de captação, tratamento e distribuição de água.

Secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, coloca a primeira pedra
Fotografia: Carlos Paulino | Edições Novembro

As obras do 50 sistemas de captação, tratamento e distribuição de água, cuja primeira pedra foi lançada quinta-feira pelo secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, estão a cargo da empresa de construção civil “Mitrelli”, vão custar 74 milhões de dólares e têm a duração de dois anos.
Os sistemas, que vão funcionar com painéis solares, enquadram-se no programa do Executivo “Água para todos”. O projecto contempla a construção de nove sistemas de abastecimento de água potável no município do Cuíto Cuanavale, sete em Mavinga, seis em Menongue e igual número no Dirico e no Calai, quatro no Nancova e o mesmo número no Rivungo, Cuchi e Cuangar.
O secretário de Estado das Águas, Luís Felipe da Silva, disse que a meta estabelecida prevê que até 2022 cerca de 80 por cento da população que vive no meio rural em todo o território nacional tenha acesso ao fornecimento de água potável.
Luís Filipe da Silva garantiu que o Ministério da Energia e Águas vai continuar a envidar esforços para que o programa "Água para todos" possa chegar a todos os municípios, comunas, aldeias e quimbos do país, para que as populações residentes nestas localidades possam beneficiar deste projecto.
“O que queremos é que todos os cidadãos, a nível do país, possam consumir água potável, no sentido de deixarem de beber o precioso líquido em estado impróprio e que periga a saúde do ser humano”, disse, acrescentando que desta forma o Executivo vai deixar de gastar avultadas somas de dinheiro para a compra de medicamentos.
O vice-governador do Cuando Cubango para o sector Técnico e Infra-estruturas, Bento Xavier, reconheceu que com a construção dos 50 sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável, muitos habitantes da província, sobretudo os do meio rural, vão deixar de percorrer longas distâncias em busca do precioso líquido e consumir o mesmo em estado impróprio. “Este importante projecto vai permitir ainda com que a população deixe de ir buscar água e fazer os seus trabalhos domésticos nos rios, onde muitas das vezes são atacadas ou até mesmo devoradas por jacarés”, disse.
A projecção da construção destes sistemas, acrescentou, significa que o Executivo conhece os problemas dos habitantes do Cuando Cubango. O governante pediu as autoridades tradicionais e a população a cuidar bem os sistemas de abastecimento de água potável quando os mesmos forem concluídos.
O responsável da empresa Mitrelli no Cuando Cubango, Pedro Bezerra, explicou que todos os sistemas incluem a construção de canal de captação de água, uma estação de tratamento, reservatório de 230 mil litros, um fontenário com quatro torneiras, um balneário público com oito chuveiros e uma lavandaria comunitária.
O projecto contempla também o fornecimento de água potável em todas as infra-estruturas do Estado nas 50 localidades abrangidas, com realce para escolas, unidades sanitárias e policiais, e administrações comunais.
Para que as obras decorram sem sobressaltos, segundo o representante do empreiteiro, está prevista a instalação de dois estaleiros da empresa Mitrelli na província, sendo um no Cuchi e outro no Cuangar, para facilitar o armazenamento dos materiais e equipamentos.
Numa primeira fase, foram constituídas duas equipas de trabalho que vão se encarregar da construção de sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável em Menongue e no Cuangar.
“Depois destas duas localidades, que achamos numa primeira fase arrancar com este projecto, vamos prosseguir em outras regiões para que até o mês de Maio de 2020 possamos concluir com a construção dos 50 sistemas na província do Cuando Cubango”, disse.

Tempo

Multimédia