Política

Militantes do MPLA e da Unita em campanhas para prevenir a Covid-19

Fernando Neto | Mbanza Kongo

Militantes do MPLA e da UNITA na província do Zaire juntaram-se ontem, no Bairro 4 de Fevereiro, arredores da cidade de Mbanza Kongo, e promoveram uma campanha conjunta de sensibilização da população para o cumprimento das medidas de prevenção contra o Coronavírus.

Vista parcial da cidade de Mbanza Kongo
Fotografia: DR

Os militantes dos dois partidos abdicaram temporariamente da rivalidade partidária e deram início à campanha de sensibilização dos cidadãos, aconselhando-os a permanecer em casa, como forma de evitarem a propagação da Covid-19, que vem causando milhares de mortes em todo mundo.

O secretário provincial adjunto da UNITA, Nunes Nkunkuankosi considerou salutar manter a união neste momento em que a humanidade, em particular Angola, enfrenta uma doença perigosa. “Neste momento devemos estar todos unidos na luta contra a Covid-19. Pretendemos dar o nosso contributo na sensibilização dos citadinos de Mbanza Kongo sobre o perigo que representa a pandemia”, referiu o responsável da UNITA, aconselhando as pessoas a seguirem à risca, as medidas de prevenção para evitar o contágio de uma pessoa para outra.

“A primeira medida é ficar em casa. As pessoas apenas devem sair de casa por necessidade imperiosa. Lavar constantemente as mãos com água e sabão”, aconselhou. A primeira secretária municipal do MPLA em Mbanza Kongo, Nzuzi Wete Kadi, também considerou salutar a união entre os dois partidos, na medida que todas as forças da sociedade devem dar o seu contributo na luta contra a pandemia do novo coronavírus.
“Neste momento não há partidos políticos, nem igrejas. Existem apenas cidadãos angolanos empenhados no combate contra o  novo coronavírus", referiu Nzuzi Wete Kadi, que apelou aos cidadãos para o cumprimento de todas as recomendações do Ministério da Saúde e do Decreto Presidencial, que declara o Estado de Emergência.
A realidade de Mbanza Kongo, onde 75 por cento da população depende economicamente da lavra ou da venda nos mercados informais para se alimentar, torna mais complexa a tarefa de sensibilização das pessoas a adoptarem novos hábitos, declarou a responsável do MPLA, para quem o Estado de Emergência tornou complexa e difícil a vida da população, mas defende que mais importante é o cumprimento das recomendações sobre a protecção contra o Coronavírus.  “Não há nada impossível. Todos nós, de mãos dadas vamos conseguir vencer esta doença muito perigosa”, disse.

Tempo

Multimédia