Política

Ministério da Juventude apela a comportamentos mais éticos

André Sibi

O Secretário de Estado da Juventude, Fernando João, apelou à juventude angolana a adoptar um comportamento ético e saudável para uma melhor resposta à pandemia da Covid-19.

Secretário de Estado da Juventude, Fernando João.
Fotografia: Edições Novembro| Arquivo

Fernando João, que falava à imprensa à margem do lançamento da 3ª fase da campanha de sensibilização sobre as formas de prevenção à Covid-19, organizado pelo Instituto Angolano da Juventude, em parceria com o Ministério da Saúde e Governo de Luanda, disse que o Plano Nacional de Desenvolvimento (PDN 2018-2022), contempla o programa de Desenvolvimento Integral da Juventude, que passa pela mobilização dos jovens para comportamentos mais éticos, saudáveis e participativos no desenvolvimento social do país e da Politica Nacional da Juventude.

De acordo com o Secretário de Estado, no que concerne aos deveres da juventude, o documento orienta a participação dos jovens em programas de voluntariado e solidariedade social, bem como os seus eixos prioritários, segurança pública e cidadania, patriotismo, solidariedade, voluntariado e envolver os jovens no combate aos males sociais. 

É nesta ordem de ideias que se enquadra o contributo da juventude no combate à pandemia da Covid-19, que assola o mundo de há um tempo a esta parte e o nosso país desde Março último.  De acordo com Fernando João, com a circulação comunitária do vírus na província de Luanda e do crescente número de casos importados nalgumas províncias, urge a necessidade de continuarmos unidos aos esforços do Ministério da Saúde através da Direcção Nacional de Saúde Pública e de outras organizações da sociedade civil, no sentido de reforçarmos as acções de sensibilização às populações, pois verificamos alguma desinformação sobre as medidas de prevenção e incumprimento da parte de muitos dos nossos cidadãos.

Assim, tendo em conta o perigo da doença, a alta taxa de mortalidade, associados a questões de matriz política, económica e social, há toda a necessidade de se criarem mecanismos que visem a prevenção da doença e a sua propagação em território nacional. 

O político lembrou que os seminários em curso enquadraram-se nos Projectos de Orientação Social da Juventude e de Fomento ao Associativismo e Voluntariado Juvenil em execução no Instituto Angolano da Juventude (IAJ), em 12 das 18 províncias do país, alinhados com o Programa de Desenvolvimento Integral da Juventude constante no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN/2018-2022).

Entre os objectivos, capacitar os jovens voluntários em actividades de sensibilização sobre a prevenção à COVID-19; contribuir para a prevenção e propagação do contágio da Covid-19 pelo território nacional; sensibilizar os jovens em particular e a sociedade em geral para o cumprimento das medidas de prevenção orientadas pelas autoridades sanitárias e os órgãos de defesa e segurança; promover acções nas principais ruas e avenidas, tendentes a minimizar o impacto social causado pela pandemia da COVID-19 no seio das famílias mais vulneráveis em geral e dos jovens em particular; informar a população de como evitar o contágio por via dos materiais de IEC.

De recordar que os seminários decorreram em simultâneo, nas províncias de Luanda, Moxico, Bié, Zaire, Lunda-Norte, Cunene, Huambo, Benguela, Bengo, Cuando Cubango, Cuanza-Sul e Namibe, onde foram capacitados os Núcleos de Jovens Voluntários fomentados pelo Instituto Angolano da Juventude. 

Participaram da cerimónia o Secretário de Estado da Saúde Pública, Franco Mufinda, Vice Governador de Luanda para a esfera Política, Dionísio Fonseca, e o Director do Instituto Angolano da Juventude, Jofre dos Santos.

Tempo

Multimédia