Política

Ministério pondera instituir provedor

Edna Dala

O Ministério da Comunicação Social vai reflectir, em conjunto com os actores e parceiros, sobre a instituição da figura do provedor da Comunicação Social, anunciou o ministro João Melo.

Ministro João Melo defende media cada vez mais públicos
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

O ministro, que discursava na sessão de encerramento da conferência internacional sob o tema “Os desafios da comunicação angolana”, disse que o objectivo é reforçar a ética e a deontologia e ter o controlo social da comunicação social.
O ministro frisou que ainda não sabe se será instituído já este ano ou apenas em 2020, lembrando que a figura do provedor da comunicação social consta do programa eleitoral do partido vencedor nas eleições passadas.
O ministro defendeu a necessidade de todos pensarem em como instituir a figura de provedor da Comunicação Social. João Melo garantiu igualmente que o Ministério da Comunicação Social vai continuar com o processo de reestruturação do sector e aprofundar o que considerou “o grande compromisso público” no processo de abertura informativa e responsável que está em curso no país.
João Melo indicou que um dos grandes compromissos da instituição é tornar os media do Estado cada vez mais públicos e menos governamentais.
O ministro entende que o desafio deve ser feito "de forma gradual, de acordo com as circunstâncias históricas e as condições políticas, económicas, culturais, entre outros factores que existem em cada sociedade".
João Melo esclareceu que, para tornar os media públicos gradualmente mais públicos e menos governamentais, o Ministério da Comunicação Social encara a possibilidade de fazer algumas acções que passam pela separação da direcção dos conteúdos dos órgãos de Informação da Administração.
O ministro João Melo sublinhou a transformação deve ser feita copiando outros modelos.

Tempo

Multimédia