Política

Ministro está satisfeito com prontidão das FAA

Isidoro Samutala e Armando Sapalo| Dundo

O ministro da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos, garantiu ontem, no Dundo, que as Forças Armadas Angolanas estão prontas e disponíveis para dar resposta sempre que for necessário na defesa do território nacional.

Fotografia: DR

João Ernesto dos Santos que falava no fim da visita realizada às 75ª e 32ª Brigadas de Infantaria e Motorizadas destacadas na vila do Cafunfo, município do Cuango, e na localidade do Camundembele, município do Chitato, onde constatou a prontidão das tropas para intervir em qualquer situação em que forem chamadas, disse que, nas duas unidades visitadas, o nível de prontidão das forças é muito elevado.

O ministro disse estar satisfeito com o trabalho que tem sido desenvolvido pelas duas unidades, que são parte integrante da Região Militar Leste, apesar de alguns problemas que são conjunturais, devido à actual situação do país. Mas garantiu que esses proble-mas serão superados pelo Comando Superior das Forças Armadas, com o apoio do Ministério da Defesa. A constatação feita, acrescentou, vai permitir elaborar um memorando de forma detalhada para ser apresentado ao Comadante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas.

João Ernesto dos Santos referiu que, com a visita, foi possível conhecer a realidade concreta das tropas, sobretudo como vivem, o estado de prontidão, a logística e outros aspectos fundamentais que concorrem para a melhoria das condições das tropas. “Estou há poucos dias a exercer o cargo, preciso conhecer a realidade das nossas forças para, pouco a pouco, irmos dando a solução de algumas situações”, sublinhou.

Outra satisfação manifestada pelo ministro é o apoio que as Forças Armadas prestam à Polícia Nacional na materialização das medidas de prevenção e combate à Covid-19, assim como o apoio prestado na protecção da fronteira com a República Democrática do Congo.

Quanto ao incidente ocorrido no posto fronteiriço do Furi-3, durante o qual foi alvejado um segundo sargento das Forças Armadas Angolanas por soldados das Forças Armadas Congolesas, o ministro afirmou que tomou conhecimento da situação e estão a ser encetados contactos com os responsáveis militares da RDC no sentido de se devolverem as duas armas que foram levadas.

Militar das FAA alvejado por tropa da RDC

Um soldado das Forças Armadas Angolanas (FAA), colocado no destacamento do Mussalala, posto fronteiriço do Furi-3, municípío do Cambulo, na Lunda-Norte, foi alvejado, na sexta-feira, com uma bala de arma automática, por um militar da República Democrática do Congo (RDC), informou ontem a delegação do Ministério do Interior.

De acordo com um comunicado de imprensa, o incidente aconteceu alegadamente por causa dos equívocos dos limites fronteiriços entre Angola e RDC. O soldado alvejado encontra-se sob cuidados médicos numa das unidades hospitalares de referência do Dundo, capital da Lunda-Norte.

Os efectivos das FAA realizavam diligências de reconhecimento operativo num dos pontos da fronteira do lado angolano, onde encontraram um grupo de cidadãos da RDC que devastava a flora, produzindo carvão vegetal. De seguida, caíram na emboscada das Forças Armadas Congolesas, que produziram vários disparos com armas automáticas, acertando no pé direito do soldado das FAA que sofreu ferimentos graves.

Acto contínuo, os militares congoleses recuperaram duas armas do tipo AKM-47, pertencentes aos militares angolanos. A situação foi analisada por equipas militares das duas partes, que acordaram a devolução das duas armas.

Tempo

Multimédia