Política

MPLA denuncia campanhas de intoxicação contra o Estado

O Bureau Político do Comité Central do MPLA denunciou, ontem, a existência de "campanhas de intoxicação" movidas contra as instituições do Estado angolano e o Presidente da República, João Lourenço.

Fotografia: DR

Numa declaração sobre o 3º aniversário do mandato de João Lourenço, o órgão de cúpula do partido no poder “repudia, veementemente, todas as manobras de diversão”, visando desacreditar as acções no âmbito do combate à corrupção, impunidade e demais práticas nocivas que “ameaçam, seriamente, os alicerces da sociedade angolana”.

O MPLA manifesta “confiança nas instâncias de Justiça”, no sentido de fazer imperar a Lei e o Direito, ao mesmo tempo que exorta os angolanos a manterem-se “vigilantes” e a cerrarem “fileiras” em torno da liderança do Presidente João Lourenço. Na perspectiva do maior partido político angolano, só com a participação de todos Angola poderá vencer os desafios do desenvolvimento.

Na sua mensagem, o MPLA encoraja, ainda, o Presidente da República a reforçar as medidas de políticas para garantir a dinamização da economia nacional e consolidar as conquistas alcançadas em sede dos direitos, liberdades e garantias fundamentais dos cidadãos.  

O partido no poder em Angola reconhece que o Presidente João Lourenço não tem poupado esforços, desde o primeiro dia em que assumiu o poder, para consolidar a estabilidade política e social, no quadro da governação de proximidade, inclusiva e participativa.

“Os três anos de governação do Presidente João Lourenço também estão marcados pela implementação de medidas destinadas a assegurar o desenvolvimento económico sustentável”, lê-se na declaração. A este propósito, destaca o “aumento da produção interna de bens de consumo de primeira necessidade”, bem como a “melhoria do ambiente de negócios”, por forma a que o país reconquiste a confiança dos investidores angolanos e estrangeiros.

O MPLA destaca, igualmente, o envolvimento pessoal do Presidente João Lourenço, ao longo dos três anos do seu mandato, na transformação do combate à corrupção como imperativo nacional, na reforma do Estado e da Justiça, e no alargamento dos espaços de liberdade de expressão e de manifestação política.

O partido governante realça, também, a postura do Presidente angolano, ao fazer uma maior aposta nos jovens e nas mulheres no processo de decisão política e na promoção da diplomacia económica, para a captação de investimentos estrangeiros.  Num outro sentido, o MPLA exorta todos os angolanos a associarem-se aos esforços visando a moralização da sociedade, vencer a crise económico-financeira e continuar a promover o bem-estar e a qualidade de vida das populações.

Por último, o partido maioritário reitera o apoio nas medidas implementadas pelo Executivo destinadas a atenuar o impacto da pandemia da Covid-19.

Tempo

Multimédia