Política

MPLA apoia as mudanças

João Dias |

Na primeira reunião após a vitória por maioria absoluta nas eleições gerais de 23 de Agosto, o Comité Central do MPLA esteve ontem reunido em Luanda e exortou o Executivo angolano a “impulsionar as mudanças necessárias e indispensáveis nos mais diversos sectores da vida nacional, visando a melhoria das condições de vida dos angolanos”.

Presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, intervém na sessão de abertura ontem da reunião ordinária do Comité Central
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

A sessão foi aberta, no período da manhã, pelo líder do partido, José Eduardo dos Santos, que apelou para a necessidade do “reforço e manutenção da unidade de pensamento e de acção” no seio dos militantes do partido como requisitos para dar corpo ao lema “Melhorar o que está bem e corrigir o que está mal”, que presidiu à campanha eleitoral de João Lourenço.
Discursando na abertura da sessão, no Complexo Turístico de Belas, José Eduardo dos Santos sublinhou que  a direcção do partido pretende que os cidadãos, os trabalhadores e as famílias tenham acesso aos bens essenciais e  sejam protagonistas das suas próprias vidas e das sociedades onde se inserem. “Que sejam no fundo cidadãos autónomos e responsáveis”, acrescentou o presidente do MPLA.
“É neste contexto que esta reunião vai analisar o Plano geral de actividades do partido para 2018”, destacou logo a seguir José Eduardo dos Santos, esclarecendo os objectivos desta primeira reunião do Comité Central depois da vitória do partido nas eleições de 23 de Agosto último.
O líder da maior organização política no poder  frisou estar “ciente de que o trabalho político do partido desemboca sempre no processo eleitoral” e lembrou ainda, sobre a vitória nas urnas, que ela possibilitou “uma transição pacífica e ordeira” ao nível do aparelho do Estado, que deve conduzir ao reforço da organização, disciplina e da unidade do partido.
“São estes valores que asseguram o funcionamento e a dinâmica da vida política do MPLA, que nos permite trabalhar em conjunto na materialização dos objectivos contidos no programa do MPLA e na moção de Estratégia do Líder”, disse José Eduardo dos Santos.
Na reunião, em que marcaram presença 299 dos 363 membros que compõem o Comité Central, José Eduardo dos Santos indicou que o objectivo do programa partidário passa pela criação de “uma sociedade mais justa, coesa, baseada nos dez desígnios da Nação”, metas que estiveram resumidas na moção aprovada no último congresso e apresenta pelo próprio José Eduardo dos Santos.
Ao referir-se ao plano geral de actividades do partido, José Eduardo dos Santos lembrou que o mesmo deve ser permanente e sem interregnos, adaptando-o aos momentos concretos que o país vive. Além do plano geral, a reunião também aprovou os instrumentos da Comissão de Auditoria e Disciplina, que permite garantir a funcionalidade do órgão necessário para a  manutenção da disciplina partidária.
José Eduardo dos Santos reconheceu que a vitória nas eleições de Agosto último é resultado do empenho e entrega dos militantes, simpatizantes e amigos do partido, que durante a campanha eleitoral não pouparam esforços às iniciativas que visaram esclarecer, mobilizar e divulgar os ideais do MPLA.

Mestria de João Lourenço
O líder do partido reconheceu a “mestria” do actual Presidente da República e do Vice-Presidente pelo modo como galvanizaram o eleitorado durante a campanha eleitoral.
“Felicito os camaradas João Lourenço e Bornito de Sousa (cabeças de lista do MPLA), que souberam cumprir com brilho a nobre missão que lhes foi confiada pelo Comité Central, “galvanizando com mestria e de forma incansável o eleitorado e o povo em geral para obtermos um resultado favorável e assim mantermos o poder político”, afirmou.
O presidente do MPLA felicitou os deputados eleitos, aos quais recomendou que representem com zelo e dedicação os interesses dos cidadãos e saudou ainda a postura do eleitorado angolano pela “excelente lição de civismo e maturidade política”.
Antes do discurso do presidente do partido, foi dedicado um minuto de silêncio à memória de Ciel da Conceição “Gato”, combatente da luta de libertação e ex-dirigente do partido, falecido no final da semana passada.

 Aprovada uma moção de apoio a José Eduardo dos Santos

O Comité Central do MPLA encorajou o Executivo a trabalhar de forma afincada para impulsionar as mudanças necessárias e indispensáveis nos diversos sectores da vida nacional, visando a melhoria contínua das condições de vida dos angolanos e do seu bem-estar social, tendo em atenção os grandes objectivos nacionais para a governação até 2022.
O órgão deliberativo do partido também exortou o Executivo a prosseguir com o apoio aos países da região dos Grandes Lagos, com vista à pacificação.
O Executivo e José Eduardo dos Santos foram elogiados  pelos esforços e contribuições durante os dois mandatos consecutivos que Angola esteve na presidência da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), em prol da solução dos conflitos e instauração da paz e estabilidade na região.
José Eduardo dos Santos também foi elogiado pelos feitos durante o mandato como Presidente da República e as suas “elevadas qualidades de liderança”, que tornaram o MPLA um partido “indiscutivelmente melhor posicionado” para vencer os grandes desafios do futuro.
O Comité Central elogiou a forma “ordeira, cívica, patriótica e exemplar” como o povo participou em todo o processo eleitoral e agradeceu o voto de confiança depositado no MPLA e no seu candidato, João Lourenço, eleito Presidente da República.
BP e CC renovado
No domínio da vida interna, o órgão de direcção entre dois congressos elegeu Salomão Xirimbimbi e Adão de Almeida para o Bureau Político e integrou como membros efectivos do Comité Central os militantes Sebastião Lino e João Rodrigues dos Santos Paula, em substituição de Agostinho José Neto e Rui Alberto Filomeno de Sá “Dibala”, que faleceram há pouco tempo.
O Comité Central aprovou o Plano Geral de Actividades para 2018 e o correspondente parecer da Comissão de Disciplina e Auditoria, bem como o cronograma de implementação dos planos gerais de actividades e de eventos.
O orçamento anual do MPLA para 2018 e o respectivo parecer da Comissão de Disciplina e Auditoria foram aprovados, incluindo os ajustamentos ao regimento da organização e funcionamento das comissões de disciplina e auditoria, bem como os regulamentos de instrução de processos, de aplicação de sanções e de trabalho de auditoria partidária.
O Comité Central aprovou uma moção de apoio ao presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, pela “forma abnegada e exemplar, sentido patriótico e de Estado como conduziu os destinos do país e liderou de modo irrepreensível a superação de todos os obstáculos e adversidades na edificação de uma Angola una, reconciliada, moderna e democrática”.

Tempo

Multimédia