Política

MPLA quer maior controlo na execução dos programas

Kamuanga Júlia | Saurimo

O primeiro-secretário do MPLA na Huíla, João Tyipinge, exortou ontem, na cidade do Lubango, os militantes a acompanhar de perto a execução dos programas de desenvolvimento social em curso na província, permitindo a sua contribuição no crescimento económico da região.

Militantes do partido assumem desafios políticos que podem reforçar a sua actuação
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Ao falar na primeira Reunião Metodológica sobre a Organização do Trabalho do Partido, no quadro das eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, o político disse que há muito trabalho em curso, mas é preciso que os eleitores o conheçam.
O encontro  serviu de antecâmara do VI Congresso  Extraordinário  do partido,  a 8  de Setembro próximo, em Luanda.
João  Tyipinge elegeu os sectores da Educação, Saúde, Agricultura, Comércio, Indústria, Construção Civil, Energia e Águas, como bases para o desenvolvimento da sociedade, tendo solicitado atenção redobrada dos militantes do partido, para  que sejam corrigidos os problemas actuais.
Participaram  no encontro metodológico membros do comité provincial do partido, do secretariado da comissão executiva, primeiros secretários municipais da OMA e JMPLA,  que foram  esclarecidos sobre a realização do VI Congresso, que vai,  entre outros objectivos, consolidar a unidade e reafirmar o apoio ao programa do Governo do  MPLA sufragado nas eleições gerais do ano passado. A primeira-secretária do MPLA no Bengo, Mara Quiosa, recomendou no sábado, no município dos Dembos, aos militantes do partido, que estejam pre-parados para o processo das autarquias.
Ao discursar no acto político de massas, na vila de Quibaxe, município dos Dembos, a política disse que o MPLA tem uma grande responsabilidade no processo da implementação das autarquias no país.
Os militantes devem defender o posicionamento do partido sobre a implementação gradual das autarquias, referiu Mara Quiosa, que reiterou a necessidade do reforço do trabalho de crescimento dos militantes no partido, controlo das estatísticas do partido e a monitorização do funcionamento das estruturas de base.  Mara Quiosa entregou computadores aos responsáveis dos CAP, para ajudar a melhorar o trabalho das estruturas de base.

Passeata apoia congresso
A direcção do MPLA na Lunda-Sul reconheceu ontem, na cidade de Saurimo, Lunda-Sul, a maturidade do partido vincada na organização de uma passeata em apoio à realização do VI Congresso extraordinário, que contou com a participação de centenas de militantes, simpatizantes e amigos da organização política.
O ingresso de 200 novos militantes nas fileiras do partido e a distribuição de capacetes a motociclistas foram os principais momentos do evento, que decorreu no pavilhão multiusos, no bairro Luavur.
Na ocasião, o primeiro-secretário do MPLA na Lunda-Sul, Eduardo Nelumba, reiterou o apoio à candidatura de João Lourenço  a presidente do partido, e reconheceu que o país vive momentos difíceis, mas garante que com o modelo de governação actual “com o povo e para o povo” melhorias substanciais na vida dos cidadãos podem ser observadas a curto prazo.
Domingo último, jovens filiados na organização juvenil do MPLA da província de Luanda participaram ontem na marcha  em apoio à realização do VI Congresso Extraordinário do MPLA e à candidatura de João Lourenço ao cargo de presidente do MPLA.
A eleição terá lugar a 8 de Setembro próximo, durante o 6º Congresso Extraordinário do MPLA, no qual vão participar acima de 2.500 delegados das 18 províncias de Angola e do exterior. João Lourenço vai substituir José Eduardo dos Santos na presidência do partido.

Tempo

Multimédia