Política

MPLA reafirma a prioridade na preparação das autárquicas

Gabriel Bunga Matias da Costa| Cuito, Carlos Paulino| Menongue

O MPLA continua a encarar a realização das eleições autárquicas como sendo o maior desafio político a enfrentar nos próximos tempos. A afirmação é da vice-presidente do partido, Luísa Damião, quando falava ontem durante a cerimónia em que recebeu cumprimentos de ano novo, na sede nacional daquele partido, em Luanda.

Vice-presidente do MPLA recebeu cumprimentos de ano novo
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Luísa Damião exortou os militantes, simpatizantes e amigos do MPLA a participarem activamente em todo o processo de institucionalização das autarquias locais. “As eleições autárquicas previstas para 2020 afiguram-se, para o MPLA, como um desafio político incomensurável, que vai exigir de todos nós empenho, dedicação, resiliência e perspicácia”, disse.
A dirigente partidária exortou os militantes do MPLA a aumentarem o rigor, a disciplina, a eficiência e eficá-cia para se poder cumprir as tarefas programadas. Luísa Damião disse ainda que se deve aumentar o papel dirigente do MPLA para apoiar o líder do partido e o Executivo no grande desafio de “melhorar o que está bem e corrigir o que está mal”.
A “número dois” na hierarquia do MPLA disse que todo o trabalho de apoio e de engajamento deverá  ter como base a defesa dos ideais do partido, do seu líder, João Lourenço, e o reforço da imagem e prestígio do partido junto do povo angolano.
Luísa Damião considerou que o MPLA deverá apoiar o Executivo no aumento da oferta de bens e serviços e a geração de emprego. “Devemos reforçar a nossa relação com a sociedade civil, estreitando-a cada vez mais, de modo a consolidar o processo de construção de uma sociedade cada vez mais democrática, justa e inclusiva”, advogou.
A vice-presidente do MPLA pediu maior atenção na realização das assembleias de balanço e renovação de mandatos a serem realizadas este ano nos Comités de Acção do Partido, nas conferências comunais, distritais e municipais. Luísa Damião apelou a todos os militantes do MPLA a cerrarem fileiras em torno dos ideais do líder do MPLA e manter a unidade, a união e coesão, com vista  a materialização do programa de governação do MPLA.
A vice-presidente disse ser necessário continuar a trabalhar para a moralização da sociedade com bons exemplos de comportamento e atitudes. “Devemos continuar a apoiar as linhas mestras do combate à corrupção, ao ne-potismo e à impunidade que o Estado angolano leva a cabo, para eliminar todos os fenómenos que prejudicam o seu desenvolvimento e minam a aceitação nacional e internacional das suas instituições, democraticamente eleitas”, defendeu.
A cerimónia de cumprimentos de ano novo, dirigida aos dirigentes, militantes e funcionários do MPLA contou com a presença dos antigos vice-presidentes do par-
tido, António Pitra Neto e Roberto de Almeida, e dos di-
rigentes que já exerceram o cargo de secretário-geral do MPLA, Lopo do Nascimento, Marcolino Moco, Julião Ma-teus Paulo “Dino Matrosse” e Paulo Kassoma.

Combate à intriga
O maior mal que enferma a imagem do MPLA são as intrigas recorrentes no seio dos militantes, admitiu on-tem, no Cuito, o primeiro-secretário provincial do Bié do partido.
Pereira Alfredo, que falava durante um acto em que recebeu cumprimentos de Ano Novo de membros do Comité Provincial, defendeu que esta é uma realidade que se deve combater com urgência.
Segundo o político, ao MPLA cabem tarefas vitais que incidem na governação, daí que tenha defendido que “nunca devemos permitir, que o ambiente interno do partido seja beliscado por interesses inconfessos”.
“Queremos união dentro do nosso partido. Foi sempre essa a nossa maior divisa e, com determinação e coragem, teremos de executar este desiderato”, declarou.
Pereira Alfredo realçou que apenas a união entre militantes vai proporcionar sequências vitoriosas do partido, tendo apontado o actual contexto como o momento para se definir o que será o MPLA nos próximos tempos.

Sensibilização da população

O primeiro secretário do Co-mité Provincial do MPLA no Cuando Cubango, Pedro Mu-tindi, pediu aos militantes do partido para trabalharem na sensibilização e mobilização da população para dotá-las de formação política necessária capaz de conquistar o maior número possível de autarquias na região.
 Ao falar igualmente numa cerimónia de cumprimentos de Ano Novo, Pedro Mutindi disse ser necessário que os Comités de Acção do Partido (CAP), a JMPLA, a OMA e os membros dos comités municipais e provincial do MPLA, dediquem uma especial atenção às eleições autárquicas, previstas para o próximo ano.
Para o efeito, referiu, é necessário que todos os militantes, simpatizantes e amigos do MPLA assumam um papel preponderante neste processo para que o partido vença nos municípios que serão seleccionados no Cuando Cubango.

Tempo

Multimédia