Política

Nacionalista morre aos 81 anos

Morreu ontem, aos 81 anos de idade, vítima de doença prolongada, o médico e nacionalista angolano Edmundo Rocha, que,no último terço da sua vida, muito se empenhou em passar para a escrita o seu testemunho e o de camaradas seus, complementados por exaustivos estudos documentais reunidos no livro “Angola: Contribuição ao Estudo do Nacionalismo Moderno Angolano”.

Fotografia: DR

Publicou também “A Casa dos Estudantes do Império nos Anos de Fogo – Depoimento sobre a acção política da juventude africana da CEI no quadro da luta pela libertação nacional das colónias portuguesas” e “O Clube Marítimo Africano. A sua contribuição para a luta pela independência nacional dos países sob domínio colonial português, 1955-1961”.
Edmundo Vicente de Melo Rocha nasceu aos 21 de Maio de 1931 em Porto Amboim, província do Cuanza-Sul, tendo aí efectuado os seus estudos primários. Fez parte dos estudos secundários no Liceu Salvador Correia, em Luanda, completando-os em Coimbra, Portugal, em 1951. Estudou Medicina em França, especializando-se em Pediatria e posteriormente em Imuno-Alergologia em Portugal. Doutorou-se em Pediatria pela Faculdade de Medicina de Argel.
De 1949 a 1951 foi membro da Casa dos Estudantes do Império (CEI) em Coimbra. Organizou na Alemanha, juntamente com Luís de Al-meida, Desidério Costa e Luís Gaspar, a fuga de 100 estudantes africanos de Portu-gal, em Junho/Julho de 1961, tendo sido, nesse ano, um dos fundadores da União Geral dos Estudantes dos Países sob Domínio Colonial Português. Fez parte do grupo de 14 angolanos que, em Setembro de 1961, instalou a representação do MPLA em Léopoldville, actual RDC.

Tempo

Multimédia