Política

Nações Unidas reforçam intercâmbio com Angola

A representante interina das Nações Unidas em Angola, Florbela Fernandes, manifestou terça-feira, em Luanda, o apoio da organização internacional às instituições angolanas.

Desafios para reforçar o diálogo nas comunidades envolve o respeito do género
Fotografia: Edições Novembro

Ao falar na conferência sobre a participação de Angola na 62ª Sessão do Conselho das Nações Unidas sobre o Estatuto da Mulher (CSW), que decorreu em Nova Iorque, Florbela Fernandes garantiu que a ONU quer continuar a trabalhar em parceria com os angolanos, com vista ao reforço do diálogo nas comunidades.
As Nações Unidas vão fazer tudo para que as deliberações saídas dos encon-tros internacionais sejam praticados como ganhos para elevar e reforçar o conhecimento dos cidadãos, disse Florbela Fernandes.
Angola participou em Março, em Nova Iorque,  com 28 delegadas, na 62.ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher (CSW), que decorreu sob o lema “Juntos é Possível”.
Integraram a delegação angolana membros da Rede Mulher, da sociedade civil e do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.   
A conferência decorreu no auditório do Instituto Nacional de Estatística (INE) e contou com a presença de membros do Executivo.

Histórico da parceria

Em Novembro de 2014, o Governo angolano, representado pelo Ministério do Planeamento e do Desenvolvimento Territorial, e o Sistema das Nações Unidas em Angola assinaram, em Luanda, um Quadro de Parceria para o Ciclo 2015-2019 (FNUAP 2015-2019), que vai permitir às diferentes agências da ONU em Angola implementar projectos contidos no Plano Nacional de Desenvolvimento.
O acordo estabelece o quadro de referência para que as agências especializadas como UNICEF, FNUAP e o Sistema das Nações Unidas para o Desenvolvimento possam implementar um conjunto de projectos nos vários domínios da vida nacional, nos sectores da Educação, Saúde, protecção social, direitos hu-manos, acesso à justiça e reforço da capacidade institucional em termos de governação.
O Quadro de Parceria envolve um orçamento de mais de 200 milhões de dólares e deve ser implementado atra-vés dos Programas de Acção das Agên-cias especializadas das Nações Unidas, em coordenação com os Departamen-tos Ministeriais.
A parceria permite às Agências das Nações Unidas trabalhar num conjunto de acções no domínio do desenvolvimento sustentável, como apoio em acções ao empreendedorismo, com vista à inclusão da juventude nas actividades económicas.
O UNPA (na sigla inglesa) 2015-2019 resultou de um processo de elaboração participativo e interactivo, envolvendo vários Departamentos Ministeriais e agentes da sociedade civil, sob coordenação do Ministério do Planeamento e do Desenvolvimento Territorial e as Agências das Nações Unidas.
Para as Nações Unidas, a assinatura do documento estabelece uma nova dinâmica e filosofia na parceria entre Angola e o Sistema das Nações Unidas.
O Sistema das Nações Unidas em Angola, composto por vários organismos que actuam em vários sectores, tem assumido o compromisso de promover com Angola uma cooperação sólida e uma parceria eficaz e contribuir para o desenvolvimento humano, equitativo e inclusivo a favor de todos os cidadãos angolanos.

Tempo

Multimédia