Política

ONU reitera apoio total ao Governo

Josina de Carvalho |

O representante das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladeli,  reiterou ontem a total disponibilidade da organização mundial, juntamente com os parceiros internacionais, em continuar a apoiar o governo e o povo angolano na implementação da agenda nacional de desenvolvimento e na concretização do objectivo de pertencer ao grupo dos países de desenvolvimento humano elevado até 2025.

Representante das Nações Unidas em Angola discursou no Dia das Nações Unidas
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Paolo Balladeli, que falava no acto comemorativo do 72º aniversário da organização mundial, disse ser possível dar continuidade e acelerar a parceria entre o Sistema das Nações Unidas em Angola e o Executivo para a transição de Angola para país de renda média e implementação dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável com o foco na redução da pobreza e da vulnerabilidade económica, melhoria da saúde, educação, habitação, reforço da governação e da coesão social e na resposta aos efeitos das alterações climáticas.
O Sistema das Nações Unidas em Angola, frisou, reconhece a solidariedade e a liderança  do país na resposta à crise dos refugiados congoleses e ao processo de transição política, com a realização das últimas eleições gerais e a tomada de posse ordeira e pacífica do Presidente da República, João Lourenço, e da Assembleia Nacional. “Estas duas situações demonstram a liderança de Angola e assinalam uma nova era no país”, sublinhou o representante da ONU.
Paolo Balladeli disse que as Nações Unidas  e os Estados-Membros se encontram numa fase crucial de implementação da Agenda 2030, Agenda de Adis Abeba sobre o financiamento para o desenvolvimento, Quadro de Sandai sobre a redução dos riscos de desastres e do Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas sustentáveis.
O primeiro relatório global de balanço dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, acrescentou, já foi lançado este ano e deu uma visão dos esforços feitos até agora a nível global e dos seus principais desafios e das assimetrias existentes entre os continentes.
Paolo Balladeli  apoia a mensagem do secretário-geral da ONU, António Guterres, que entende que o mundo enfrenta graves desafios como o aumento de conflitos e das desigualdades, extremas condições meteorológicas, elevados níveis de intolerância e ameaça à segurança dos países, incluindo no plano das armas nucleares. “Temos os instrumentos e os recursos necessários para vencer esses desafios. Precisamos é de vontade para o fazer”, lê-se na mensagem do secretário-geral da ONU, para quem os problemas do mundo transcendem fronteiras e por esta razão os Estados - membros têm que ultrapassar as suas  diferenças para transformar o mundo.

Governo agradece
O secretário de Estado para a cooperação do Ministério das Relações Exteriores, Domingos Vieira Lopes,  disse que o governo angolano agradece o apoio contínuo da ONU na busca de soluções para minimizar os efeitos da actual crise que o país enfrenta.
“Agradecemos o apoio especial prestado recentemente pelo coordenador residente  através do financiamento, que será aplicado em áreas que impulsionem o desenvolvimento humano e social e crescimento económico inclusivo e sustentável de Angola durante o período de 2015/2019”, referiu o secretário de Estado.
Domingos Vieira Lopes afirmou que Angola se compromete a promover uma política de diálogo e maior engajamento nos esforços comuns a favor da preservação da segurança internacional e do progresso económico e social dos povos, em conformidade com a Carta das Nações Unidas. A ONU tem 194 Estados-membros, incluindo Angola que aderiu a organização mundial no dia 1 de Dezembro de 1976.

Tempo

Multimédia