Política

País precisa de parcerias estratégicas e credíveis

Edna Dala

O secretário de Estado do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social sublinhou ontem, em Luanda, que Angola precisa de parceiros estratégicos credíveis que tenham uma forte experiência nos domínios técnico, científico, económico e de serviços, participando, deste modo, no processo de diversificação da economia e do desenvolvimento socioeconómico do país.

Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

António Francisco Afonso considerou que, com a efectivação dos futuros acordos com a Turquia, empresários daquele país estarão interessados em investir em Angola e espera, também, que angolanos possam investir naquele país europeu, desde que sejam asseguradas as condições jurídico-legais para a promoção e protecção recíproca de investimentos, combate à dupla tributação e evasão fiscal, facilitação de direitos alfandegários de comércio e cooperação nos vários domínios entre os dois países.
O dirigente angolano, que discursava na sessão de abertura de uma mesa-redonda que analisou a cooperação estratégica entre Angola e Turquia, disse que o país quer, cada vez mais, diversificar a economia e, por isso, acredita que as indústrias e as companhias turcas podem ajudar neste sentido.
O secretário de Estado recordou que os dois países estabeleceram as relações diplomáticas em 1980 e, em 2008, tiveram início as relações de cooperação, com a assinatura do acordo de cooperação comercial, económica e técnica. Angola, disse, está aberta e continua a ser um destino viável e seguro para o investimento estrangeiro, daí que conta com potenciais parceiros estratégicos que se interessem em canalizar investimentos para os diversos sectores da economia angolana.
Durante o encontro, o embaixador turco, Aly Ay, reconheceu que, apesar de alguns progressos registados, as relações entre Angola e a Turquia ainda estão longe de atingir nível satisfatório.
O diplomata considerou Angola uma potência crescente em África e não só. “Com a sua forte liderança política, o país está determinado a dar todos os passos para um futuro melhor, apesar da sua História às vezes difícil e desafiadora, mas sempre honrosa e com uma política externa activa equilibrada”, notou. Aly Ay recordou que a Turquia possui a quinta maior rede diplomática do mundo, com mais de 240 missões e que a companhia área Turkish Airlines voa para cinco continentes, 120 países e cerca de 300 cidades no mundo.

Tempo

Multimédia