Política

Papel das Autoridades Tradicionais é visto "a pente fino"

O papel e a função das Autoridades Tradicionais são analisados, hoje e amanhã, no III Encontro Nacional sobre as Autoridades Tradicionais, que decorre na Academia de Ciências Sociais e Tecnologias (ACITE), adjacente à Centralidade do Kilamba, em Luanda.

Papel das Autoridades Tradicionais em debate
Fotografia: Nilo Mateus| Edições Novembro

O encontro, organizado pelo Ministério da Cultura, decorre sob o lema “As Autoridades Tradicionais face ao Estado moderno no fortalecimento da democracia”.
Segundo um comunicado do Ministério da Cultura, o III Encontro Nacional sobre as Autoridades Tradicionais emerge da necessidade da criação de um espaço amplo de intercâmbio e de discussão, de dois em dois anos, sobre as Autoridades Tradicionais, o seu papel e função e o contributo na moralização das comunidades e na promoção, preservação e divulgação da cultura nacional.
Outro objectivo é reflectir sobre o lugar e o papel das Autoridades Tradicionais na promoção do empreendedorismo comunitário e nos processos de liderança comunitária e das Autarquias Locais, discutir e apresentar subsídios à Proposta de Lei das Autoridades Tradicionais e abordar os critérios/regras de sucessão e de legitimidade das Autoridades Tradicionais.
O encontro junta as Autoridades Tradicionais com as diferentes individualidades, entre os quais investigadores nacionais e internacionais li-gados à Antropologia e outras áreas, permitindo um diálogo entre todos os intervenientes.
O acto de abertura vai ser presidido pela ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, em representação do Presidente da República.
Recentemente na Huíla, as Autoridades Tradicionais defenderam maior autonomia na mediação e resolução dos problemas nas comunidades, desde os casos passionais aos de roubo de gado.
A preocupação foi apresentada à margem do II Encontro Provincial das Autoridades Tradicionais, a luz da terceira reunião nacional sobre a matéria.

Tempo

Multimédia