Política

PGR recupera 286 milhões de dólares do consórcio CIF

A Procuradoria-Geral da República recuperou 286,4 milhões de dólares que estavam em posse do CIF - Angola (China International Fund), na qualidade de entidade gestora do projecto de construção do novo Aeroporto Internacional de Luanda.

Dinheiro recuperado são de obras do Novo?Aeroporto de Luanda
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Segundo um comunicado distribuído ontem, o valor recuperado, na sequência de um processo de inquérito instaurado pela Direcção Nacional de Prevenção e Combate à corrupção da PGR, já se encontra depositado numa conta do Estado angolano.
O documento refere que o processo de inquérito prossegue a sua tramitação legal, para o apuramento de responsabilidades. O processo de inquérito foi instaurado depois de uma fiscalização das obras do novo Aeroporto Internacional feita pelo Ministério dos Transportes.
Em Fevereiro deste ano, o ministro dos Transportes, Ricardo deAbreu, revelou que as obras de construção do Novo Aeroporto Internacional de Luanda seriam objecto de correcções de fundo de engenharia, funcionalidade, designer, orçamento e dos prazos para a sua conclusão.
Segundo o ministro Ricardo D’Abreu, o objectivo é adequar o aeroporto, cujas obras iniciaram há mais de dez anos, aos anseios e às expectativas de uma obra moderna, inovadora e confortável para os passageiros.
Ricardo deAbreu, que falava à imprensa no termo da 3ª reunião do Conselho de Ministros, disse que, em termos de previsão, o sector tinha um prazo de conclusão do aeroporto para o terceiro trimestre do próximo ano. “Estamos, nesta altura, a considerar que isso venha a depender do trabalho que esta equipa vai realizar, mas estamos a prever que este processo se arraste até 2021 ou 2022”, informou.
O ministro disse haver muitos aspectos a serem revistos e corrigidos no novo aeroporto e, por essa razão, só com a conclusão do trabalho feito por esta equipa é que será possível precisar a data da sua entrada em funcionamento e da sua operacionalização. “Ainda falta fazer muita coisa. Já foi feita alguma coisa. O projecto, inicialmente, tinha os trabalhos de execução das obras a cargo da China International Fund (CIF), tendo sido interrompida e suspensa por inconformidades e incapacidade declarada desta entidade”, referiu.
Para continuar a fazer a construção do novo aeroporto, segundo o ministro, foi identificada uma nova empreiteira, a AVIC, também chinesa, que actualmente está a construir o aeroporto. “Essa entidade, com outros tipos de valências, tem capacidade para poder realizar as obras. Há um trabalho de base que está a ser realizado pela fiscalização que passa pela verificação dos trabalhos executados pela CIF e pelos seus sub-empreteiros”, disse Ricardo d'Abreu, acrescentando que o objectivo é garantir que os trabalhos se encaixem na necessidade de um aeroporto seguro, funcional e operacional.
O Novo Aeroporto Internacional de Luanda, localizado na comuna do Bom Jesus, município de Icolo e Bengo, estava inicialmente previsto para entrar em funcionamento em 2017. A sua construção teve início em 2007.
A China International Fund Limited (CIF) é uma empresa privada chinesa com sede em Hong Kong e um escritório em Pequim. A empresa foi fundada em 2003 em Hong Kong para financiar projectos em grande escala de reconstrução nacional e desenvolvimento de infra-estruturas nos países em desenvolvimento, principalmente em África. Em Angola participou na construção de vários empreendimentos sociais e detém vários empreendimentos, incluindo uma fábrica de cimento, na localidade de Bom Jesus, em Luanda.

Tempo

Multimédia