Política

Polícia trava entrada ilegal de estrangeiros na fronteira

A Polícia de Guarda Fronteira impediu oito tentativas de violação da fronteira que delimita a província do Cunene com a Namíbia, anunciou ontem, em Ondjiva, o porta-voz do Comando Provincial da Polícia Nacional.

Comandante da Polícia de Guarda Fronteira de Angola
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Os números representam menos nove casos em relação a igual período anterior. disse o intendente Nicolau Tuvecalela que indicou que as infracções ocorreram nos  troços fronteiriços dos marcos 1, 19 e 22, mais concretamente nas sub-unidades de Calueque e Namacunde. “A Polícia interpelou 25 cidadãos nacionais, dos quais 12 do sexo feminino, que tentavam transpor a linha de fronteira no sentido Namíbia/Angola e vice-versa.”
Nicolau Tuvecalela explicou que as violações compreendem a tentativa de fuga ao fisco, na qual foi possível apreender diversas mercadorias por descaminho.
Os infractores, após o registo e interrogatório operativo, foram postos em liberdade, os produtos em pequena escala entregues aos legítimos proprietários, sendo os de maior quantidade sido entregues a Administração Geral Tributária, em Santa Clara.
A  província do Cunene partilha 460 quilómetros de fronteira com a  República da Namíbia, dos quais 340 quilómetros terrestres e 120 quilómetros fluviais.

Operações em Cabinda

Na província de Cabinda foram detidos 37 estrangeiros nos últimos sete dias pela Polícia de Guarda Fronteira de Angola (PGFA), por violação de zonas fronteiriças angolanas.
De acordo com o informe semanal da Polícia Nacional, 20 dos detidos são cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) e 17 da República do Congo.
 O documento da Polícia de Guarda Fronteira indica que os estrangeiros foram detidos quando tentavam violar a fronteira terrestre através dos postos fronteiriços do Yema e Massabi. As autoridades continuam a realizar operações locais.

Tempo

Multimédia