Política

Presidente aborda no Japão transformação económica em Angola

Santos Vilola | Yokohama

O Chefe de Estado, João Lourenço, apresenta, na quarta-feira, à Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento de África (TICAD), em Yokohama (Japão), os desafios do país durante uma intervenção no painel “Acelerar a transformação económica e melhorar o ambiente de negócios através da inovação e envolvimento do sector privado”.

Chefe de Estado recebeu cumprimentos de despedida do Vice-Presidente da República
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

O Presidente da República, que deixou, ontem, Luanda e desembarca amanhã na cidade de Tóquio para participar na sétima edição da TICAD, vai avistar-se, à margem do evento, com o Primeiro-Ministro do Japão, Shinzo Abe, na quinta-feira. No último dia de trabalhos, sexta-feira, João Lourenço participa, com outros convidados, no “Chá da Tarde”, oferecido por Naruhito, Imperador do Japão, no Palácio Imperial, em Tóquio.
O embaixador do Japão em Angola, Hironori Sawada, em entrevista ao Jornal de Angola, disse que “a TICAD sem a presença de Angola teria menos impacto”.
O diplomata afirmou ser “muito importante” a participação do Presidente João Lourenço na cimeira, porque os principais temas, como a transformação económica, melhoria do ambiente de negócios e desenvolvimento do sector privado, a promoção de sociedades resilientes e sustentáveis, estão alinhados com os projectos de desenvolvimento em Angola”.
O Presidente angolano, segundo o diplomata, pode influenciar na formulação de políticas para os países africanos durante a conferência. O diplomata considerou a presença de Angola “é muito importante”. Uma das vantagens de participar na conferência, segundo Hironori Sawada, está na série de reuniões bilaterais que acontecem à margem do encontro.
“O Presidente João Lourenço vai ter oportunidade de interagir com o sector privado japonês, para mostrar o que Angola está a projectar para o desenvolvimento, e as perspectivas de governação, e apresentar sectores para os quais pretende atrair investimento japonês”, disse o diplomata.
Ontem, no aeroporto, o Chefe de Estado recebeu cumprimentos de despedida do Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa.

25 anos de parceria

Quando começar, na quarta-feira, em Yokohama, a VII Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento de África, os mais de 4.500 convidados esperados vão assinalar 25 anos de intercâmbio para promover o crescimento do continente. Nos últimos três anos, o Japão investiu cerca de 35 mil milhões de dólares no continente africano.
A única vez que a iniciativa diplomática se reuniu no continente africano foi, em 2016, quando os encontros regulares deixaram de ser quinquenais e passaram a ter uma periodicidade trianual. Em Nairobi, foram anunciados investimentos para o futuro de África por via do financiamento de projectos em infra-estruturas de qualidade e desenvolvimento de recursos humanos.
Concebido como fórum multilateral, com a participação de países e instituições africanos, organizações internacionais e parceiros, sector privado e organismos da sociedade civil, o encontro serve para reforçar a parceria para o crescimento de qualidade e a promoção do comércio e do investimento através de parcerias público-privadas.

A cidade e as referências

Cimeiras diferentes, mas, depois da TICAD VII, Yokohama acolher um evento de dimensão internacional ainda este ano.
A cidade de Yokohama, que faz parte da Grande Tóquio (área metropolitana com dois aeroportos internacionais - Narita e Enada), está ao lado da cidade de Tóquio, Kanagwa, Saitama e Kumagaya, no roteiro de cinco cidades que vão acolher, entre 20 de Setembro e 2 de Novembro, o primeiro Campeonato do Mundo de Râguebi na Ásia. Yokohama é o berço do râguebi no Japão.
Se, pela cidade, referências sobre a TICAD só são encontradas no Centro de Convenções Nacional do Pacífico, os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 já polarizam as atenções dos visitantes e têm, no aeroporto internacional Narita, cartazes de boas-vindas.
Ainda assim, em relação à TICAD, no Centro de Convenções Nacional do Pacífico, localizado na zona da Baía de Yokohama, já está montado o aparato técnico e de segurança. Hoje, começa a acreditação dos jornalistas, no dia em que Chefes de Estado e de Governo africanos e representantes de organizações internacionais como o Banco Mundial e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Organizações Não-Governamentais e da sociedade civil começam a desembarcar na cidade para a sétima edição da TICAD.
O Campeonato do Mundo de Râguebi 2019 domina as atenções dos visitantes. O estádio está localizado mesmo ao lado do centro de convenções. A cidade tem como “ex-libris” o Distrito de Minatomirai, com vários atractivos, entre os quais um museu de arte, os Jardins de Sankeien e Sojiji Daihonzan, um templo com um lugar para meditação conhecido como “espaço zen”.
O roteiro turístico oferece ainda a “Chinatown de Yokohama”, uma das maiores cidades chinesas do mundo, com mais de 600 restaurantes e lojas, além de históricos edifícios chineses na zona. A cidade acolhe o maior edifício do país - a Torre Landmark, com 295.8 metros de altura. Com 73 andares, a torre é um dos arranha-céus mais altos do mundo. Foi concluída em 1993.
Yokohama tem o maior cais, com cruzeiros que oferecem, aos visitantes, restaurantes e a oportunidade de relaxar enquanto apreciam uma vista maravilhosa do porto, de dia e de noite.

Tempo

Multimédia