Política

Presidente da CASA-CE anuncia reestruturação

Bernardino Manje

O presidente da CASA-CE, André Mendes de Carvalho “Miau”, fala hoje, à imprensa, sobre o posicionamento do Tribunal Constitucional relativamente ao processo de reestruturação em curso na coligação.

André Mendes de Carvalho “Miau” orienta a colectiva de imprensa esta manhã
Fotografia: Agostinho Narciso | Edições novembro

A informação foi prestada ontem, ao Jornal de Angola, pela porta-voz da CASA-CE, Cesinanda Xavier, que preferiu não avançar mais pormenores sobre o assunto a ser abordado na conferência de imprensa desta manhã.
Em finais de Fevereiro, cinco dos seis líderes dos partidos políticos integrantes da CASA-CE decidiram afastar o anterior presidente da coligação, Abel Chivukuvuku, por alegada “quebra de confiança”, e no seu lugar indicaram o líder do grupo parlamentar, André Mendes de Carvalho.
Na sua tomada de posse, no dia 10 de Março, o novo líder da CASA-CE tinha apontado como desafios imediatos a entrega, ao Tribunal Contitucional, de toda a documentação para a oficialização de todo o processo de reorganização na coligação.
André Mendes de Carvalho comentou, igualmente, um eventual pedido de impugnação, por parte do anterior presidente da CASA-CE, Abel Chivukuvuku, ao actual processo em curso na coligação junto do Tribunal Constitucional.
“De maneira nenhuma, ele vai poder ser presidente de uma coligação em que os membros estão a dizer que não têm confiança na sua pessoa”, afirmou o ainda presidente do grupo parlamentar da CASA-CE, reafirmando que a causa do afastamento de Chivukuvuku foi a perda de confiança à sua pessoa.
Um dia depois de ser afastado, Chivukuvuku solicitou ao Tribunal Constitucional um esclarecimento sobre a legalidade da decisão. “Aquilo foi um anúncio em conferência de imprensa, e não passou disso.
Em termos de procedimento, há actos próprios de ordem legal. Logo, deve ser o tribunal a decidir. Vou aguardar serenamente até que o tribunal se pronuncie sobre o assunto”, disse, na altura, o político ouvido pela Rádio Nacional de Angola (RNA).
Abel Chivukuvuku, que actualmente se encontra em recuperação na África do Sul depois de estar internado em Luanda devido à malária e insuficiência renal, lembrou, na ocasião, que o acórdão do Tribunal Constitucional de 2017 é esclarecedor em relação à presidência da CASA-CE. “É o tribunal que tem de voltar a declarar quem preside a coligação e não um grupo de militantes. Só espero que a situação seja resolvida de forma civilizada, cívica e séria”, disse.
A coligação CASA-CE é a terceira maior força política representada na Assembleia Nacional, onde ocupa 16 dos 220 assentos.
A coligação de partidos políticos CASA-CE foi fundada em Abril de 2012 e, desde a sua criação, era liderada por Abel Chivukuvuku, um dissidente da UNITA. São membros da coligação o Partido de Aliança Democrática para o Desenvolvimento de Angola - Aliança Patriótica (PAD-DA-AP), Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA) e o Partido Pacífico Angolano (PPA).
Fazem ainda parte da coligação eleitoral CASA-CE o Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA), Partido Nacional para o Progresso e Aliança Nacional de Angola (PDP-ANA) e o Bloco Democrático (BD).

Tempo

Multimédia