Política

Presidente foi convidado a visitar Rússia

André Sibi

O Presidente João Lourenço foi convidado a visitar a Rússia pelo seu homólogo, Vladmir Putin, em Abril deste ano, anunciou ontem o embaixador daquele país, Vladir Tararov.

Vladir Tararov.
Fotografia: DR

Em entrevista ao jornal de Economia e Finanças, título da Edições Novembro, o diplomata garantiu que durante a visita vão ser estabelecidos vários contactos, podendo ser abordada a questão da criação de uma base de manutenção de helicópteros em Angola.

Angola, disse, detém um número significativo de helicópteros de fabrico russo, pelo que se considera importante montar uma base para a manutenção de helicópteros e fornecimento de peças sobressalentes, para manter a operacionalidade dos equipamentos.
Segundo o diplomata, trata-se de uma iniciativa conjunta que está a depender do interesse dos dois países para a sua execução efectiva. “Temos certeza que esta base não vai trabalhar apenas para Angola, mas sim apoiar a manutenção de helicópteros e aviões a nível de toda a região austral do continente”, frisou.
Vladir Tararov acredita que o assunto também estará na mesa das negociações durante a visita do Presidente João Lourenço.
“Há vontade entre as partes em materializar esta iniciativa e isto foi demonstrado, no entanto precisamos trabalhar para colocar o projecto em marcha”, sublinhou. />O diplomata afirmou que existe intenção em aumentar o investimento russo em An-gola. Com a criação de novos instrumentos legais em relação o investimento estrangeiro em Angola, adiantou, estão lançadas as bases para o reforço das relações econó-micas entre os dois países.
Como resultado realizaram-se recentemente dois fóruns empresariais entre os dois países. O primeiro teve lugar na Rússia e o segundo em Luanda. Durante os dois certames, segundo o embaixador, foram identificadas as oportunidades de negócios e os empresários estão a analisar as propostas.
Segundo o diplomata, as atenções da Rússia vão incidir nos sectores da Agricultura, Pescas, Agropecuária e In-dústria. Além da captura do pescado, disse, a Rússia quer apostar igualmente na transformação do pescado em conservas para o consumo interno e quiçá exportar para a região dos Grandes Lagos, Namíbia e o vizinho Congo Brazzaville.
A Rússia investiu na criação de um laboratório de agricultura na região centro e sul do país, orçado em mais de 240 milhões de dólares, para produzir cereais em Angola.

Tempo

Multimédia