Política

Presidente exonera oficiais generais

O Presidente da República, João Lourenço, exonerou, depois de ouvido o Conselho de Defesa e Segurança, os oficiais generais Maurício Amado Nzulu, do cargo de vice-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas para a Área Social, Altino Carlos José dos Santos, do cargo de chefe da Direcção Principal de Planeamento e Organização do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, e Baltazar Diogo Cristóvão, do cargo de chefe da Direcção Principal de Educação Patriótica do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas.

João Manuel Gonçalves Lourenço fez mexidas profundas nas principais chefias militares das Forças Armadas
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro


As exonerações do Presidente da República, fundamentadas nos termos da Constituição da República de Angola e ao abrigo da Lei de Defesa Nacional e das Forças Armadas, incluem o almirante Emílio Miguel de Carvalho Sobrinho, do cargo de chefe da Direcção Principal de Pessoal e Quadros do Estado-Maior General das Forças Armadas, o tenente-general António de Jesus Miguel José Fernandes, do cargo de chefe adjunto da Direcção Principal de Educação Patriótica do Estado-Maior General das Forças Armadas, e o tenente-general Artur Valente de Oliveira, do cargo de chefe adjunto da Direcção Principal de Pessoal e Quadros do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas. O Presidente da República exonerou também o tenente-general João António Santana, do cargo de consultor do ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, o brigadeiro Apolinário Pedro Gaspar, do cargo de chefe de Gabinete do secretário de Estado para a Política de Defesa Nacional do Ministério da Defesa Nacional, e o general Francisco Lopes Gonçalves Afonso, do cargo de comandante da Força Aérea Nacional. 
Noutros actos, foram nomeados pelo Presidente da República, também nos termos da Constituição da República de Angola, e ao abrigo da Lei de Defesa Nacional e das Forças Armadas, depois de ouvido o Conselho de Defesa e Segurança, os generais Altino Carlos José dos Santos, para o cargo de comandante da Força Aérea Nacional, e João António Santana, para o cargo de chefe do Estado-Maior General Adjunto das Forças Armadas Angolanas para a Educação Patriótica.
Foram ainda nomeados o almirante Emílio Miguel de Carvalho Sobrinho, para o cargo de vice-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas para a Área Social, e o tenente-general Artur Valente de Oliveira, para o cargo de chefe da Direcção Principal de Pessoal e Quadros do Estado Maior General das Forças Arma-das Angolanas.
O Presidente da República nomeou ainda os tenentes-generais António de Jesus Miguel José Fernandes, para o cargo de chefe da Direcção Principal de Educação Patriótica do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, Apolinário Pedro Gaspar, para o cargo de chefe de Gabinete do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas. Foi ainda nomeado o contra-almirante Eduardo Henriques da Silva, para o cargo de chefe de Gabinete do secretário de Estado para a Política de Defesa Nacional do Ministério da Defesa Nacional.

Movimentação na Polícia
O Presidente da República, João Lourenço, exonerou os comissários Paulo André Francisco, do cargo de director do Gabinete do Comandante Geral da Polícia Nacional e João Baptista Martins Ginga de Almeida, do cargo de comandante da Polícia de Protecção de Objectivos Estratégicos da Polícia Nacional. Foram ainda exonerados os subcomissários Augusto Vasco Sandundo, do cargo de chefe do Gabinete do segundo comandante geral da Polícia Nacional, e Waldemar Paulo da Silva José, do cargo de director adjunto do Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais da Polícia Nacional. 
Todas estas exonerações foram feitas nos termos da Constituição da República de Angola, ao abrigo da Lei que regula os Postos e Distintivos da Polícia Nacional e ouvido o Conselho de Segurança Nacional.
De acordo com o comunicado de imprensa, foram nomeados pelo Presidente da República, depois de ouvido o Conselho de Segurança Nacional, os oficiais comissários da Polícia Nacional o comissário-chefe João Baptista Martins Ginga de Almeida, para o cargo de comandante da Polícia de Guarda Fronteiras da Polícia Nacional, o comissário Augusto Vasco Sandundo, para o cargo de director de Gabinete do comandante Geral da Polícia Nacional, o comissário Sebastião Cambinda, director de Logística do Ministério do Interior para, cumulativamente, exercer o cargo de director nacional de Logística da Polícia Nacional, o comissário Paulo André Francisco, para o cargo de conselheiro do comandante geral da Polícia Nacional, e o subcomissário Waldemar Paulo da Silva José, para o cargo de director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior.

Ordem de promoção
O Presidente da República, na qualidade de Comandante-Em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, exarou uma ordem a promover os oficiais comissários e superiores ao posto policial de comissário-chefe o comissário João Baptista Martins Ginga de Almeida, comandante da Polícia de Guarda Fronteiras de Angola, ao posto policial de comissário o subcomissário Augusto Vasco Sandundo, director de Gabinete do comandante geral da Polícia Nacional, e ao posto policial de sub-comissário o superintendente-chefe Divaldo Júlio Martins, comandante da Polícia de Protecção de Objectivos Estratégicos da Polícia Nacional,  e o superintendente-chefe Amadeu Narciso Lucamba Bentes, chefe do Gabinete do 2º comandante geral da Polícia Nacional.
O comunicado de imprensa da Casa Civil do Presidente da República refere que em Ordem igualmente exarada pelo Comandante-Em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, foram licenciados do Serviço Militar Activo passando à reforma, por limite de idade, os oficiais generais Baltazar Diogo Cristóvão e Maurício Amado Nzulo, e na Polícia Nacional foi licenciado à reforma, também através de uma Ordem assinada pelo Comandante-Em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, o comissário-geral Armindo Fernandes do Espírito Santo Vieira.

Tempo

Multimédia