Política

PRS discorda do princípio do gradualismo geográfico

O secretário provincial do Partido de Renovação Social (PRS) no Huambo, António Soliya Selende, reiterou ontem a recusa à proposta do Governo de realizar as eleições autárquicas de forma gradual e não em simultâneo em todos os municípios.

Em conferência de imprensa, responsável dos renovadores sociais no Huambo considera o gradualismo geográfico uma imposição aos angolanos, totalmente fora da realidade do país e uma divisória regional, que vai beneficiar apenas algumas pessoas.Soliya Selende referiu que o gradualismo geográfico, defendido pelo Governo, não está na Constituição. Com esta pretensão, acrescentou, o Executivo pretende alargar o tempo, para depois invocar razões inexistentes para a não realização das eleições autárquicas.

Tempo

Multimédia