Política

Recenseamento militar regista afluência razoável

O único posto de recenseamento militar instalado junto da administração distrital da Ingombota, em Luanda, regista uma afluência razoável de jovens que respondem ao apelo de cadastramento obrigatório, iniciado dia oito deste mês para os cidadãos de sexo masculino nascidos até o ano de 2000.

Recenseamento militar
Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Nos primeiros dias registou-se uma grande afluência dos jovens abrangidos, considerado normal pelos funcionários do posto de recenseamento. O processo de recenseamento militar encerra no dia 28 de Fevereiro próximo.
Alguns jovens contactados pela Angop mostraram-se prontos para cumprir a ordem de recenseamento militar do Ministério da Defesa Nacional, nos termos da Lei Geral do Serviço Militar Obrigatório vigente no país.
Os jovens expressaram a prontidão à chamada em prol da defesa da Pátria, e apelaram aos demais jovens a seguirem o exemplo, evitando assim as consequências resultantes do incumprimento da referida obrigação legal.
Para o jovem Edson da Conceição, “a sua resposta à chamada representa o cumprimento de uma obrigação normal e observância de um dever cívico e patriótico”.
O abrangido Mendes de Carvalho é de opinião que todos os jovens devem exercer este dever de cidadania.”Respondendo à ordem de recenseamento, os jovens estão a demonstrar um sentimento patriótico”, afirmou.
O encarregado de educação que acompanhou o educando, Miguel Arcanjo,  afirmou que a resposta à chamada permite aos jovens o cumprimento de um dever de cidadania.

Tempo

Multimédia