Política

Reino Unido financia projectos hospitalares

João Dias

A enviada especial da primeira-ministra britânica para o Comércio com Angola, baronesa Lindsay Northover, anunciou apoio concreto de empresas do Reino Unido a projectos nos domínios da energia e apoio hospitalar.

Encontro na Cidade Alta permitiu abordar questões relacionadas com a cooperação bilateral
Fotografia: Carlos Campos

Lindsay Northover elogiou os sinais de progresso registados no país, devido a estratégia do Chefe de Estado e do Plano de Desenvolvimento Nacional.
Em declarações à imprensa, à saída de uma audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, a enviada de Theresa May disse que o Reino Unido tem estado a notar os progressos que se registam  em Angola.
O Reino Unido, disse, tem o objectivo de financiar todos aqueles projectos que contam com 20 por cento de conteúdo britânico e desde que constituam prioridade para o Executivo angolano.
Para os projectos de energia, com ênfase para as subestações eléctricas de Viana e Gabela, os primeiros a serem implementados, o Reino Unido dispõe de 750 milhões de libras.
Para a baronesa, os sinais de progresso que se registam no país acontecem graças à estratégia do Presidente da República e dos programas e directrizes constantes do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN).
O encontro, disse, permitiu abordar questões relacionadas com a cooperação e como devem ser aproveitadas as oportunidades de investimento de parte a parte. “Tive a honra de participar na cerimónia de investidura do Presidente da República e fiquei extremamente impressionada com as suas palavras e promessas naquela altura. Hoje, foi uma grande honra ter tido este encontro com o Presidente da República, João Lourenço”, lembrou Lindsay Northover que visita o país pela nona vez.
Dado o interesse em apoiar projectos concretos e prioritários, a baronesa Northover faz-se acompanhar de uma delegação composta por membros da UK Export Finance (Agência Britânica de Financiamento ao Crédito para a Exportação) e de empresas britânicas como a Rolls Royce, KCA Deutag, Aggeko, HSBC, Standard Charted, IQA/Elecnor, Incatema e ASGC.
As empresas pretendem tomar contacto com a realidade do mercado angolano e ver que oportunidades existem para possíveis investimentos no futuro. Segundo a baronesa, o Reino Unido pretende apoiar projectos em que as empresas britânicas estejam envolvidas, numa altura em que existem dois projectos bem identificados em que já se trabalha, nomeadamente no sector da energia e no domínio do apoio hospitalar. 
Os projectos já têm financiamento garantido. A Agência Financeira para as exportações britânicas está para dar o apoio necessário. “Estamos aqui para ajudar a alcançar financiamento para estes projectos, por isso, temos uma delegação preenchida de entidades financeiras do Reino Unido.
A enviada da primeira ministra britânica para o Comércio com Angola, Lindsay Northover, teve encontros com titulares de vários departamentos ministeriais como   Saúde, Energia e Águas, Transportes, Recursos Minerais e Petróleo, Agricultura e Pescas, e com o governador de Luanda.
No termo do encontro com o ministro das Finanças, Archer Mangueira, a baronesa disse que o Reino Unido está a financiar projectos constantes do Plano de Desenvolvimento Nacional, com realce para a construção e manutenção das subestações eléctricas de Viana e da Gabela.
 No encontro com o ministro das Finanças, foi possível escolher os projectos prioritários para o financiamento. “Estou muito contente por os primeiros projectos designados terem sido finalmente validados e saído do papel”, disse.
A visita da baronesa Lindsay Northover a Angola coincide com a vinda dos representantes da London Stock Exchange Group (Bolsa de Valores de Londres em Luanda.

Tempo

Multimédia