Política

Relações Exteriores analisa a diplomacia

O Ministério das Relações Exteriores realiza hoje e amanhã no edifício sede da instituição, em Luanda, o seu VIII Conselho Consultivo.

Fotografia: Mota Ambrósio| Edições Novembro

O ministro Manuel Augusto preside à cerimónia de abertura do encontro que decorre sob o lema “Reformar e formação: uma visão virada para o futuro”.
O encontro vai fazer o balanço das actividades desenvolvidas até agora, bem como perspectivar acções futuras, no âmbito das suas competências de execução da política externa.
No Conselho Consultivo do ano passado, a instituição anunciou o encerramento de quatro embaixadas. Dentre estas, estavam as do México, Canadá, Grécia e da CPLP, que passariam a ser cobertas pela Embaixada em Lisboa.
Em relação aos consultados, os de Durban (África do Sul), Frankfurt (Alemanha), Faro (Portugal) e Califórnia (Estados Unidos da América) estavam entre aqueles que seriam encerrados.
Entre os motivos do encerramento, estava o facto de estas representações serem “fonte de despesas, nalguns casos, e, em outros, fontes de conflitos com resultados zero”, segundo o ministro.
No último conselho, altos funcionários da diplomacia angolana analisaram temas como “Diplomacia económica de Angola”, “Geopolítica e cobertura regional” e “Plano de reforma, uma nova visão para o Ministério das Relações Exteriores”.
Participam no Conselho Consultivo do Ministério das Relações Exteriores directores, embaixadores extraordinários, plenipotenciários e do quadro da carreira diplomática e outras entidades convidadas para a cerimónia de abertura e de encerramento.

 

Tempo

Multimédia