Política

Samakuva com empresários

O candidato da UNITA a Presidente da República terminou ontem a sua actividade política e partidária na província da Huíla, com um encontro com empresários locais.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Isaías Samakuva, que iniciou a sua jornada na sexta-feira, orientou no sábado, no Lubango, um acto político onde fez algumas promessas, caso seja eleito nas eleições gerais de 23 de Agosto.
Na capital da segunda maior praça eleitoral depois de Luanda, o também presidente do maior partido da oposição prometeu um combate cerrado à corrupção, sustentando que esta batalha passa por uma reforma profunda do sistema de justiça, para “torná-lo independente do Poder Executivo”.
Isaías Samakuva afirmou que Angola será um país melhor com a materialização do manifesto eleitoral da UNITA, denominado “Angola 2030”. Ainda no sábado, o referido manifesto foi apresentado aos jovens da província do Huambo, na sua maioria universitários, num acto orientado pelo primeiro secretário provincial do partido, Liberty Chiyaka.
O político adiantou que o Angola 2030 prevê uma governação inclusiva, o combate à fome e à pobreza, a igualdade de oportunidades, a reestruturação da economia, pluralismo da comunicação social, valorização da família, o reforço da segurança social e da solidariedade nacional. A UNITA, segundo Liberty Chiyaka, continua comprometida com a preservação da paz e o reforço da unidade nacional, enquanto pressupostos indispensáveis, quer para a estabilidade da democracia, quer para o desenvolvimento económico e social sustentável.

Savihemba no Bié

O manifesto eleitoral da UNITA foi igualmente apresentado aos militantes e simpatizantes do município do Chinguar, na província do Bié. O documento foi apresentado pelo deputado e coordenador provincial da UNITA no Bié, Manuel Savihemba, durante o acto provincial que marcou as festividades do 45.º aniversário da LIMA, o braço feminino do partido.
Savihemba assegurou que, caso ganhe o pleito eleitoral, a UNITA vai garantir oportunidade a todos angolanos, sobretudo nos sectores da educação, saúde e outros, apostar no desenvolvimento da juventude, das mulheres, ex-militares, antigos combatentes, bem como autoridades tradicionais e igrejas.
O político agradeceu o desempenho que as militantes da LIMA têm empreendido para o cumprimento das tarefas emanadas pelo partido.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia