Política

Sistema de alerta no combate à seca

Estanislau Costa| Lubango

A Comissão Multissectorial para a Assistência às Populações Afectadas pela Seca esteve a trabalhar nos últimos dias na Província da Huíla e foi recebida com chuva na sua viagem até aos Gambos.

Ministro do Planeamento e do Desenvolvimento Territorial Job Graça anunciou projectos de combate à seca
Fotografia: Arimateia Baptista | Lubango

O Executivo está a instalar um sistema de alerta rápido no país para reduzir, no futuro, os efeitos da seca e de inundações, além de outras acções, como projectos de captação, tratamento e distribuição de água, regularização de caudais e gestão integrada das bacias hidrográficas.
Em declarações prestadas durante uma conferência de imprensa, no Lubango, na qualidade de coordenador da Comissão Multissectorial para a Assistência às Populações Afectadas pela Seca, o ministro do Planeamento e Desenvolvimento Territorial, Job Graça, garantiu que as medidas constam no Plano Nacional de Desenvolvimento para 2013/2017, e já estão em curso.
O ministro reuniu, no Lubango, os governadores provinciais da Huíla, Namibe, Cunene, Kuando-Kubango, Benguela e Kwanza-Sul, e administradores municipais, para traçar “estratégias para que, no futuro, o Plano de Contingência seja executado com mais eficácia e efectividade”.
A delegação multissectorial foi integrada pelos ministros da Administração do Território, Bornito de Sousa, da Saúde, José Van-Dúnem, Assistência e Reinserção Social, João Baptista Kussumua, da Comunicação Social, José Luís de Matos, da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Afonso Pedro Canga, e da Energia e Águas, João Baptista Borges.
Job Graça afirmou que 650 mil pessoas afectadas pela seca são assistidas, desde Maio, com bens alimentares e não alimentares de primeira necessidade e medicamentos, no âmbito de um plano de contingência liderado pelo Presidente da República. Orçado em 38 mil milhões de kwanzas, o plano inclui a assistência com água potável para consumo humano e animal, através de cisternas e reabilitação ou construção de furos artesianos.
Até 31 de Outubro, do orçamento global foram gastos 10,9 mil milhões de kwanzas, correspondendo a 30 por cento do total, o que permitiu distribuir 7.643 toneladas de alimentos, meios de transporte, equipamentos para provisão de água, instrumentos agrícolas e medicamentos.  A execução do plano está a ser feita de forma faseada, em função das características das operações logísticas de transporte, armazenamento e distribuição de bens.
O ministro considerou positivo o apoio prestado até ao momento à população afectada pela seca nas províncias do Kwanza-Sul, Benguela, Huíla, Namibe, Cunene e Kuando-Kubango, e elogiou a solidariedade da sociedade civil nacional e internacional por se aliar aos esforços do Executivo para acudir o problema que afecta os cidadãos.
O ministro do Planeamento e Desenvolvimento Territorial, Job Graça, entregou à população de Muvialola (município da Chibia) e Cahila (Gambos), na província da Huíla, dois sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável, para mitigar a seca, numa das regiões mais afectadas.
Job Graça esteve durante dois dias na Huíla à frente de uma delegação da Comissão Multissectorial para Assistência às Populações Afectadas pela Estiagem e avaliou a situação no terreno onde pessoas e gado foram afectados pela seca.
Os sistemas, erguidos no quadro do plano de contingência para assistência às pessoas afectadas, custaram dez milhões de kwanzas cada e têm capacidade para 600 mil litros por hora. Os mesmos possuem placas de energia solar, tanques para as senhoras cuidarem da higiene corporal e do vestuário. A mais de 200 metros das duas áreas de captação, estão bebedouros para o gado bovino e caprino.
Job Graça afirmou que a visita ao município dos Gambos teve como objectivo, fundamentalmente, encontrar um conjunto de soluções para mitigar os efeitos da estiagem e melhorar a coordenação provincial para que a aplicação do plano de contingência seja o mais eficaz possível. “A entrega às comunidades de dois sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável demonstra que as soluções começam a funcionar”, disse o ministro. Job Graça esclareceu que o plano de contingência tem uma componente estrutural com a finalidade de mitigar, de modo substancial e sustentável, os efeitos da estiagem. A delegação ministerial entregou também suplementos nutritivos no posto de saúde da comuna do Rio D’Areia e da Chibemba. 

Obras nas chimpacas 

A delegação multissectorial percorreu os 150 quilómetros do Lubango aos Gambos sob chuva intensa, razão para a população ter ironizado que “os visitantes trouxeram  a chuva”. No local, Job Graça recebeu explicações sobre as obras do desassoreamento de uma das maiores chimpacas situada entre Cahama (Cunene) e Gambos (Huíla), local onde se concentram mais de dez mil cabeças de gado bovino provenientes das províncias do Namibe, Huíla e Cunene nas épocas de estiagens prolongadas.
O director provincial da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Lutero Campos, informou que a Mecanagro realiza a limpeza e restauração do reservatório a céu aberto e a empresa Procal está a abrir um furo de captação para cobrir a carência de água quando há falta de chuva.
Lutero Campos disse que os 20 sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável instalados no âmbito do plano de contingência permitiram o fornecimento de água apropriada para o consumo a oito mil pessoas e a 84 mil cabeças de gado bovino que sofrem efeitos da estiagem. Abel da Costa, director de Energia e Águas da Huíla, afirmou que os novos sistemas de abastecimento de água vão minimizar o sofrimento da população que antes tinha de percorrer longas distâncias. 
Um grupo foi constituído por membros da comunidade para assegurar a preservação do equipamento, controlo do abastecimento, comunicar às entidades em caso de avaria e cuidar da componente higiénica dos locais.

Tempo

Multimédia