Política

Transição política em Angola seguida com muito interesse

Fonseca Bengui | Nova Iorque

O Presidente da República está em Nova Iorque, EUA,  onde discursa, quarta-feira, na 73.ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Chefe de Estado é saudado pelo embaixador Agostinho Tavares à chegada a Nova Iorque
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

João Lourenço será o 12.º orador do período da manhã de quarta-feira, segundo dia do debate geral, que começa na terça-feira, com discursos de abertura da presidente da Assembleia Geral, Maria Fernanda Espinosa Garces, e do Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres.
 O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, disse que há “ grande expectativa dos angolanos sobre o que o Presidente vai dizer” na Assembleia Geral.
Há também uma grande expectativa da comunidade internacional na medida em que a transição política em Angola tem sido seguida com muito interesse.
Amanhã, o Chefe de Estado discursa no fórum de negócios Angola-Estados Unidos, organizado pela Câmara de Comércio norte-americana, em Nova Iorque.
Participam no fórum, destinado à apresentação das oportunidades de negócios no mercado angolano, empresários de Angola e dos Estados Unidos.
O Chefe de Estado vai igualmente ter encontros bilaterais, devendo encontrar-se amanhã com os Presidentes do Quénia, Uhuru Kennyata, da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, e do Conselho de Estado de Cuba, Miguel Diaz Canel.
A delegação angolana participa em várias reuniões de alto nível, como a Cimeira da Paz Nelson Mandela, para assinalar o centenário do nascimento do estadista sul-africano e herói da luta contra o racismo na África do Sul, Nelson Mandela.
Segundo a organização, o evento é uma oportunidade para se reflectir sobre como a comunidade internacional pode assegurar que os ideais, princípios e valores de Mandela sejam promovidos em prol da paz e estabilidade globais.
Angola participa também numa conferência sobre as grandes endemias como a malária e a tuberculose, com uma delegação chefiada pela ministra da Saúde,  Sílvia Lutucuta.

Tempo

Multimédia