Política

Trânsito na Via Expresso voltou à normalidade

Victorino Joaquim |

Os viadutos do Zango e do Kilamba, em Luanda, estão desde ontem abertos à circulação rodoviária. A abertura ficou marcada com a circulação em todas as extensões dos dois viadutos.

Circulação na Via Expresso passa a ser feita com mais fluidez com a inauguração dos viadutos
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Construída à base de betão, para um tempo útil de 20 anos, o viaduto do Zango possui uma extensão de 3,725 quilómetros, uma altura de cerca de 90 metros, 20 metros de largura e conta com duas faixas de rodagens em cada sentido.
O viaduto do Zango liga, pela passagem superior, a Vila de Viana ao distrito urbano do Zango, enquanto pela passagem inferior liga às quatro direcções, incluindo os acessos pela via Expressa.
O viaduto do Kilamba, também construído à base de betão, para um período útil de 20 anos, possui uma extensão de 6,75 quilómetros, 99 metros de altura, 30 metro de largura, e também com duas faixas de rodagens em cada sentido.
 O viaduto do Kilamba tem como principal via, pela passagem superior, a Avenida Comandante Fidel Castro, que liga a Estrada do Camama e o acesso à Centralidade do Kilamba. Pela passagem inferior vai dar por todas as direcções. Os trabalhos para a construção dos viadutos tiveram início no princípio deste ano, com uma duração de seis meses. Ambas obras deram acesso ao primeiro emprego directo a mais de 300 jovens, indirectamente foram empregadas mais de 600, em cada obra. Cada um dos dois viadutos vai permitir a circulação de cerca de 12 mil viaturas por hora
Para o ministro da Construção, Artur Fortunato, as duas obras vão garantir a circulação rodoviária mais fluida e evitar a retenção de viaturas na via por motivos de congestionamento.
“Até aos próximos 10 anos não haverá congestionamento nestas vias, que foram construídas para melhorar os acessos ao novo aeroporto internacional de Luanda”, disse Artur Fortunato.
Estas obras, acrescentou Artur Fortunato, para além de melhorarem os acessos ao novo aeroporto, vão beneficiar, principalmente, os cidadãos que vivem nos arredores das zonas em que estão a ser construídos os viadutos.
Sem especificar, o ministro da Construção garantiu que até ao final deste ano todas as obras que visam melhorar os acessos ao novo aeroporto ficam concluídas, e brevemente vai começar a obra para reabilitação do troço Camama/Viana, pela estrada do Calemba dois.
O ministro das Finanças, Archer Mangueira, realçou a importância das obras, tendo afirmado que, apesar da situação de crise económica e financeira, o Executivo tem feito esforços para garantir o financiamento destas obras. “São obras inéditas, construídas em tempo recorde, graças às parcerias entre a China e o governo angolano”, concluiu Archer Mangueira.
Para o governador de Luanda, Higino Carneiro, a construção dos viadutos não constitui a solução de todos os problemas dos cidadãos.
O governador defendeu que trabalhos semelhantes sejam também feitos no Largo da Maianga e na interseção da rua da Samba com a rua Sagrada Esperança, que dá acesso ao Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, visando também garantir uma melhor segurança e mobilidade dos automobilistas.
O director-geral da empresa Carmon, António Cuenda, mostrou a sua satisfação por ter assumido a responsabilidade de construir os dois viadutos em consórcio com a empresa chinesa CR20 e ter concluído as obras antes do prazo previsto.
“Esta obra vai dar melhor mobilidade a esta zona. Mas o que mais nos orgulha é o facto de serem os angolanos como principal força de trabalho”, concluiu António Cuenda. Na semana passada, o Presidente José Eduardo dos Santos já havia inaugurado o sistema viário da zona da Boavista ao Sambizanga, o Centro Integrado de Formação Tecnológica (Cinfotec) e procedeu à entrega das chaves aos primeiros moradores da urbanização da Marconi.

Tempo

Multimédia