Política

Veteranos incentivados a escrever memórias

O secretário provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria de Cabinda, André António Mingas, apelou aos antigos combatentes a narrarem histórias das etapas que marcaram a luta de libertação nacional, para manter viva, na memória das novas gerações, os feitos dos patriotas nacionais. 

País homenageou os antigos combatentes
Fotografia: Benjamim Cândido | Edições Novembro

Falando no acto comemorativo do 15 de Janeiro, Dia do Antigo Combatente e Veterano da Pátria, André António Mingas destacou o papel e a acção determinante na luta pela conquista da independência nacional, a 11 de Novembro de 1975. 

O vice-governador de Cabinda para o  Sector Económico, Macário Romão Lembe, enalteceu a acção dos antigos combatentes, lembrando o esforço, sacrifício, bravura, determinação e a coragem contra o regime colonial português para tornar Angola num país livre e independente. 

No Cuanza-Norte, o director do Gabinete Provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Guilherme Sebastião Neto, defendeu, no Dondo, município de Cambambe, a revisão da Lei do Antigo Combatente e Deficiente de Guerra, com vista a adequá-la ao actual contexto do país. 

O responsável fez esta afirmação na cerimónia que visou saudar o 15 de Janeiro, Dia do Antigo Combatente e Veterano da Pátria, sublinhando que a actual lei deve ser revista com urgência para que se torne, de facto, num instrumento que possa atender as necessidades do grupo alvo.  

Guilherme Neto manifestou também o desejo de ver revista a actual Política Nacional do Antigo Combatente e Veterano da Pátria, para que possa envolver as diferentes instituições do Governo, incluindo os governos provinciais, na solução dos problemas desta franja da sociedade.


Tempo

Multimédia