Províncias

A vitória do amor e da coragem sobre a preguiça

Lino Vieira, José Rofino e Leonilde Cahilo| Luena

O ministro dos Transportes disse, no Luena, após o regresso do comboio 30 anos depois, que o dia era especial porque representava mais um passo no caminho do desenvolvimento do país e em particular na melhoria de vida no Leste de Angola.

A chegada do comboio do Caminho-de-Ferro de Benguela ao Luena representa um passo importante no desenvolvimento social e económico da região Leste de Angola
Fotografia: Daniel Benjamim| Luena

O ministro dos Transportes disse, no Luena, após o regresso do comboio 30 anos depois, que o dia era especial porque representava mais um passo no caminho do desenvolvimento do país e em particular na melhoria de vida no Leste de Angola.
Augusto Tomás afirmou que a chegada do “comboio da vitória e da paz” era um dia de festa para Moxico” e o triunfo da “reconstrução, do amor, da coragem e do espírito de patriotismo” sobre “a preguiça dos que não acreditavam que com trabalho e sacrifício” era possível concretizar o sonho
O comboio da paz, insistiu, reflecte acima de tudo  a capacidade de resistência aos  que impediram que o povo gozasse rapidamente de bem-estar.
“Hoje estamos neste caminho do triunfo, do bem-estar, da paz, da reconstrução, do desenvolvimento”, salientou.
O próximo passo, referiu, é continuar e chegar à fronteira do Luau até final do ano, como disse o Presidente José Eduardo dos Santos.   
O ministro dos Assuntos Parlamentares recordou que o Executivo está a cumprir o que prometeu em 2008 na campanha eleitoral para as legislativas.
Norberto dos Santos “Kuata Kanaua”, que também falava momentos depois da chegada do comboio experimental do Caminho-de-Ferro de Benguela, afirmou que o momento marcava o início de uma nova era para a população da província
“É uma grande satisfação para todo povo do Leste de Angola e é o cumprimento de um compromisso assumido pelo Executivo em reconhecimento do sofrimento que a população da província sofreu enquanto durou o conflito armado.
Com a chegada do comboio ao Moxico, disse, passa a haver maior crescimento económico e social para bem da população”.
O ministro referiu que o comboio não era a única acção desenvolvida pelo Executivo na região e recordou a construção e a reabilitação das principais vias que ligam as províncias do Moxico e da Lunda-Sul. O governador João Ernesto Santos “Liberdade” também afirmou que a chegada do comboio significa desenvolvimento da região e melhoria de vida da população.
Estamos todos satisfeito e emocionados, disse, porque o prometido foi cumprido e isto significa que o Executivo  continua empenhado em encontrar soluções  para o bem-estar da população.
Logo após a conclusão das obras dos caminhos-de-ferro de Luanda, Benguela e Moçâmedes, o Executivo vai trabalhar na sua interligação para assegurar uma malha ligação ferroviária em todos os sentidos para ligar as actuais redes entre si com novos ramais. De acordo com informações prestadas pelo director nacional dos caminhos-de-ferro, Júlio Bango Joaquim, está na forja a ligação ferroviária pelo leste, norte e sul, pelo centro, norte e sul e pelo litoral.
Júlio Bango Joaquim explicou que a linha norte vai partir de Luanda, passa pelo Uíge, Zaire e liga à República Democrática do Congo, atingindo depois Cabinda.

Tempo

Multimédia