Províncias

Aberta ponte do rio Cubal

Yara Simão |em Benguela

A ponte que sobre o rio Cubal da Hanha, com 130 metros de comprimento e 11 de largura, que liga Benguela ao litoral e outras províncias do país foi inaugurada ontem pelo ministro das Obras Públicas Higino Carneiro.

A abertura da ponte vai proporcionar maior fluidez na circulação rodoviária entre o litoral e outras províncias
Fotografia: Dombele Bernardo

A ponte que sobre o rio Cubal da Hanha, com 130 metros de comprimento e 11 de largura, que liga Benguela ao litoral e outras províncias do país foi inaugurada ontem pelo ministro das Obras Públicas Higino Carneiro.
O ministério está a trabalhar para ligar a província de Benguela ao Huambo até ao próximo ano. “Tudo foi feito nos prazos previstos, apesar de não ser fácil construir em Angola devido ao material que tem de ser importando”, disse Higino Carneiro.
O Instituto Nacional de Estradas vai instalar balanças para proceder à pesagem dos camiões para proteger a ponte, que tem uma capacidade limitada.
Sobre o volume de programas que estão atrasados, o ministro disse que a crise financeira mundial afectou também Angola e isso fez com que o Governo reajustasse os programas, definisse novos prazos e estabelecesse limites. “Não fizemos mais porque não tínhamos capacidade financeira para pagar os serviços”, disse Higino Carneiro.
O ministro revelou que desde o início do programa de construção de pontes e estradas, já foram construídas 60 pontes definitivas de grande dimensão e mais de 300 pontes provisórias metálicas.
Armando da Cruz Neto, governador da província de Benguela, disse que a ponte do Cubala da Hanha vai permitir circular com mais facilidade e as populações têm, a partir de hoje, uma ligação ao litoral e outras províncias do interior. “Estamos todos de parabéns porque esta ponte vai contribuir para o desenvolvimento da província e para a circulação de bens e da população”.
O governador anunciou que está em conclusão a estrada que liga a província de Benguela ao Huambo e a estrada marginal que liga ao Namibe, através do Dombe Grande e Lucira. Também está em vias de conclusão a estrada para a Huila por Catengue e Chongorói. “Daqui a mais algum tempo temos uma Benguela diferente a nível na rede viárias”, disse o governador.

Abrir escolas

O administrador municipal do Cubal, Veríssimo Sapalo, disse que a nova ponte “é mais um valor para a região sul e centro do país”.
O administrador informou que o município tem 170 escolas das quais 50 estão em funcionamento e “as outras estão num processo de reabilitação”. A maior preocupação no sector da educação, disse, é reabilitar as escolas nas aldeias grandes, para que no próximo ano as crianças possam ingressar ao ensino.
 “Temos ainda fora do ensino 30 mil crianças. Pretendemos aumentar o número de salas e de professores, porque o município não tem educadores suficientes”, disse Veríssimo Sapalo.
No que diz respeito ao sector de saúde, o administrador informou que o município conta com um hospital municipal e três privados. Nas sedes comunais existem também centros de saúde. “Temos muitos problemas de água, isso faz com que a malária seja uma doença frequente no município”.
Veríssimo Sapalo disse que tudo está a ser feito para que haja na província água e energia. “Conseguimos colocar o programa de águas na Secretaria de Estado de Água, já existe uma empresa a trabalhar na captação, tratamento e distribuição e a aumentar a capacidade de distribuição. Na energia temos um problema técnico porque os nossos geradores estão com deficiências”.
O município tem cerca de três mil habitantes, conta com três comunas e deste sempre viveu da agricultura. Tem 300 fazendas desde mas apenas 30 estão em funcionamento.

Rede viária

O director Nacional do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Joaquim Sebastião, disse que “temos vindo a desenvolver as ligações da província de Benguela com a Huíla, nas duas vias que passam pela Ganda e Balombo e pelo Alto Hama, esta última está praticamente concluída”
Quanto à ligação de Benguela à província da Huila “está praticamente concluída”. Reconhece que houve atrasos mas garantiu que “vamos resolver alguns problemas a curto prazo”.
Joaquim Sebastião desmentiu a informação de que um empreiteiro na província da Huila, contratada para a construção do troço entre Kilengues e Cacula, recebeu 60 por cento de um valor global de 60 milhões de dólares para a construção da obra, que está atrasada a dois anos. O director disse que a empreitada está atrasada, não por incapacidade da empresa, mas porque houve problemas de projectos.
“Está é uma estrada que se insere na rota de interesse regional da SADEC e tem um perfil diferente. Por isso tivemos de ajustar os trabalhos com o empreiteiro. Mas é mentira que a empresa tivesse recebido 60 por cento do valor da obra. Apenas recebeu, pelos trabalhos que desenvolveu, o valor de 24 milhões de dólares, num total de 54 milhões do valor do contrato”, disse o director acrescentando que provavelmente as obras vão estar concluídas no primeiro trimestre do próximo ano.”

Retrato Cubal

O Cubal é um município da província de  Benguela. Tem 4.794 km² e 252 mil habitantes. Limita a Norte com o município do Bocoio, a Este com o município da Ganda, a Sul com o município de Chongoroi e a Oeste com o município de Caimbambo.
É banhado pelo rio Cubal. Já foi uma potência na produção de sisal e ananás. Desempenhou um papel importante na economia da região durante o século XX, fornecendo grandes quantidades de sisal e sumo de ananás para exportação.
O Caminho-de-ferro de Benguela chegou ao Cubal em 1908.

Tempo

Multimédia