Províncias

Administração Municipal aposta em infra-estruturas

António Canepa e Mário Clemente | Huambo

As autoridades municipais de Chinjenje, na província do Huambo, desenvolvem esforços para melhorar as condições de vida das populações e tornar a região um lugar bom para viver, com a construção de infra-estruturas essenciais básicas, disse ontem o administrador da circunscrição.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

João Camenhe disse que nos últimos dois anos as autoridades se empenham na ampliação do hospital municipal, que passa a ter serviços de hemoterapia, na requalificação das ruas da vila e no início do projecto “Cimento e tinta”.
Fazem  parte das acções, explicou João Camenhe, a construção de escolas e postos médicos nas comunas e povoações de maior aglomeração populacional que ficam distante da sede. No âmbito dos contactos mantidos entre as autoridades locais e as direcções de algumas instituições  a nível central resultou foi feita a requalificação do centro de saúde,   transformado em Hospital Municipal.
João Camenhe disse admitir que nos próximos tempos, algumas aldeias vão conhecer melhorias substanciais no domínio das estradas, água potável, energia, agricultura, educação e saúde: “O Governo Provincial prioriza estes serviços com o propósito de diminuir as assimetrias entre o campo e os centros urbanos e criar um bom ambiente de trabalho para os quadros”, disse.
Entre os desafios da Administração Municipal está a construção de mais escolas do ensino primário com seis salas cada, a extensão da rede de tratamento e distribuição de água, a construção de mais residências para os quadros e técnicos e a melhoria na distribuição de energia eléctrica. O administrador municipal disse que continua a sensibilizar as populações para abraçar a agricultura, com vista à redução da fome e da pobreza: “É importante dedicar maior atenção ao combate ao analfabetismo nas comunidades, incentivar as campanhas de limpeza nas vias terciárias e a participar nos trabalhos de tapa buraco”.
O administrador do Hospital Municipal, Rodrigues Aleixo César, disse que em breve a unidade sanitária  aumenta a sua capacidade de intervenção e proporciona  aos habitantes os serviços avançados de atendimento médico.
Rodrigues Aleixo César reconheceu que o centro de saúde foi elevado à categoria de Hospital Municipal sem reunir as mínimas condições  mas referiu que a Sonangol patrocinou o início das obras. Fruto disso, acrescentou, o município vai contar, pela primeira vez na sua história, com uma unidade hospitalar com as devidas dimensões e  serviços na área hospitalar.
O actual Hospital Municipal tem capacidade para internar 15 doentes, número insignificante, tendo em conta o crescimento da população e as  doenças que assolam o município. Com 62 trabalhadores, entre enfermeiros, médicos e pessoal técnico e de apoio, o Hospital Municipal conta com  banco de urgência, consulta externa, pediatria, medicina, farmácia, cirurgia e um Centro Materno Infantil.

Tempo

Multimédia