Províncias

Administração municipal define prioridades este ano

Joaquim Aguiar/Dundo

A administradora municipal do Chitato, Angélica Néné Curita, definiu este fim-de-semana, no Dundo, província da Lunda-Norte, as prioridades do plano de intervenção municipal para 2010. A construção de infra-estruturas sociais, o fomento da agricultura e da auto-construção foram os alvos escolhidos.

A administradora municipal do Chitato, Angélica Néné Curita, definiu este fim-de-semana, no Dundo, província da Lunda-Norte, as prioridades do plano de intervenção municipal para 2010. A construção de infra-estruturas sociais, o fomento da agricultura e da auto-construção foram os alvos escolhidos.
Angélica Curita disse que vai ser construída, no quadro do programa de melhoria e oferta dos serviços básicos à população, uma escola de quatro salas de aulas no bairro Canjamba, vários chafarizes na vila do Chitato e na comuna de Lova, um novo cemitério e o mercado municipal.
Ainda este ano, de acordo com a administradora municipal do Chitato, vão ser concluídas as obras de reabilitação da administração municipal, de dez casas para quadros, de uma escola do primeiro ciclo no bairro Camatundo, da administração comunal do Lova e dos sistemas de captação de água da sede municipal do Chitato e da comuna do Lova.
“Grande parte das obras que a administração municipal se propôs realizar, no ano transacto, ficaram restringidas devido à crise económica e financeira, passando a conclusão das obras para este ano”, afirmou a administradora municipal.
A responsável municipal está preocupada com a construção anárquica de casas nos bairros suburbanos, e disse que “serão tomadas medidas para combater os actos que contribuem negativamente no processo de ordenamento do território”.
Para desencorajar o surgimento desordenado de bairros na periferia da cidade, a Administração Municipal do Chitato vai desenvolver o programa de auto-construção dirigida nas reservas fundiárias já definidas.
Angélica Curita sublinhou, igualmente, a necessidade de se prestar maior atenção ao trabalho de saneamento básico, que deve contar com o envolvimento das autoridades tradicionais, coordenadores dos bairros, entidades religiosas e associações juvenis, de forma a evitar as doenças, sobretudo o paludismo, nos aglomerados populacionais.
A administradora disse que vai aplicar “multas pesadas” àqueles que “não colaborarem na manutenção da limpeza e higiene dos espaços públicos”.
Este ano, segundo Angélica Curita, a Administração Municipal do Chitato vai continuar a incentivar políticas de fomento agro-pecuário, com distribuição de instrumentos agrícolas aos camponeses associados, de forma a aumentar a produtividade e reduzir a fome e a pobreza no seio das famílias.

Tempo

Multimédia