Províncias

Aeroporto da Mukanka aberto ao mundo

Arão Martins | Lubango

O ministro dos Transportes, Augusto Tomás, disse ontem na cidade do Lubango, que o aeroporto internacional da Mukanka reabilitado e ampliado, vai atender 500 mil passageiros por ano, ao contrário de 120 mil da aerogare doméstica.

António Paulo Kassoma, ladeado pelo ministro dos Transportes, Augusto Tomás, durante a inauguração ontem das novas instalações
Fotografia: Mota Ambrósio

 
O ministro dos Transportes, Augusto Tomás, disse ontem na cidade do Lubango, que o aeroporto internacional da Mukanka reabilitado e ampliado, vai atender 500 mil passageiros por ano, ao contrário de 120 mil da aerogare doméstica.
Augusto Tomás, que falava na inauguração do novo aeroporto, disse que as obras custaram ao Estado 100 milhões de Euros e está modernizado, amplo, mais funcional e é a principal porta de entrada da província da Huíla e da região Sul de Angola.
A sua construção foi acelerada de 18 para 11 meses devido ao compromisso assumido pelo Governo em albergar o Campeonato Africano das Nações, o maior acontecimento desportivo da modalidade em África.
Augusto Tomás explicou que o aeroporto foi concebido para atender o tráfico doméstico e internacional. Ocupa uma área de sete mil metros quadrados, com sistema tecnológico avançado, uma pista principal dotada de equipamento qualificado e meios exigidos pelas instituições internacionais no domínio aeroportuário.
A aerogare tem salas de embarque e desembarque doméstico e internacional, área para os serviços de apoio como alfândegas, serviços de emigração, Polícia Fiscal, novo edifício para os bombeiros e gabinetes de campainhas aéreas. Possui ainda restaurantes, lojas, salas protocolares e um edifício novo da torre de controlo, da central eléctrica, parque de estacionamento com capacidade para 300 viaturas, incluindo autocarros e táxis.
O ministro explicou que a área de movimento sofreu uma profunda intervenção devido ao alto estado de degradação que apresentava, principalmente nas camadas das estruturas da pista principal, caminho de circulação, sistema de drenagem, balizagem e equipamentos de apoio à navegação aérea.
A pista principal, após a sua reabilitação, passou de 2.900 metros para 3.200 metros de comprimento e sete metros e meio em cada berma, perfazendo 60 metros de largura, tendo sido projectado para operar com o Boeing 777.
Foi implantado o sistema de iluminação da pista para permitir as operações nocturnas, a placa de estacionamento foi reabilitada e ampliada para aviões com 64,8 metros, ficando com uma capacidade de acolher seis aviões do tipo Boeing 777 ou 747.
O ministro dos Transportes informou que o Aeroporto Internacional do Lubango está integrado na estratégia do aumento do sector dos transportes, salvaguardando a sua conexão intermodal dos sectores rodoviário e ferroviário na região. Augusto Tomás sublinhou que no quadro de desenvolvimento da economia regional, o novo aeroporto acrescenta um valor na redefinição e reorientação das ligações aéreas entre Angola e países vizinhos.  “O aeroporto, de grande envergadura, é colocada à disposição das pessoas e das empresas, sendo mais um exemplo da nova Angola que os filhos dessa terra estão a erguer sobre a sábia liderança do Presidente da República, José Eduardo dos Santos”, disse o ministro.
Augusto Tomás informou que uma atenção especial vai ser dedicada à formação do homem como principal agente dos êxitos na concepção, execução e gestão dos projectos. O ministro dos Transportes entregou ao Primeiro-Ministro, António Paulo Kassoma, uma maqueta da aerogare para o Presidente da República visualizar a grandeza da obra moderna que foi executada na Mukanka.
Assistiram à cerimónia de inauguração do aeroporto da Mukanka, além do Primeiro-Ministro, o governador da província da Huíla, Isaac dos Anjos, os ministros das Obras Públicas, Higino Carneiro, do Território, Fontes Pereira e outros convidados.
 
Bênção ao Lubango

O presidente da Aliança das Igrejas Evangélicas de Angola (AIA) na Huíla, Maurício Kachindele disse que é uma bênção caída sobre a Huíla a inauguração do estádio nacional Tundavala, do aeroporto internacional da Mukanka, do hotel Serra da Chela e dos campos de apoio às selecções do CAN que jogam no Lubango. Maurício Kachindele disse que os equipamentos conseguidos pela província implicam agradecer a Deus por ter dado inteligência, sabedoria e saúde a todas pessoas envolvidas no projecto e na construção dos empreendimentos.
 
Reconhecimento político

O primeiro secretário do MPLA na Huíla, João Marcelino Tchipingi, disse que com a inauguração do Aeroporto Internacional da Mukanka, a província da Huíla deu um passo seguro no desenvolvimento socio-económico.
Tchipingi referiu que a entrega do novo Estádio Nacional Tundavala vai contribuir para o desenvolvimento do desporto da província e de todo o país, tendo referido que a Huíla e a região estão de parabéns pelos resultados alcançados.

Tempo

Multimédia