Províncias

Agência da Ensa em Menongue muito procurada por condutores

Carlos Paulino| Menongue

O gerente da Empresa Nacional de Seguros de Angola (ENSA), agência de Menongue, província do Kuando-Kubango, Paulo de Carvalho, manifestou-se satisfeito com a adesão dos automobilistas ao seguro automóvel obrigatório, que começa a vigorar em todo o país, a partir de hoje.

O gerente da Empresa Nacional de Seguros de Angola (ENSA), agência de Menongue, província do Kuando-Kubango, Paulo de Carvalho, manifestou-se satisfeito com a adesão dos automobilistas ao seguro automóvel obrigatório, que começa a vigorar em todo o país, a partir de hoje.
Em declarações à imprensa, na passada terça-feira, Paulo de Carvalho disse que a instituição que dirige, inaugurada recentemente naquela cidade, segurou todos os dias entre dez a 12 viaturas, número que considera satisfatório, tendo em conta o parque automóvel da província, que é bastante reduzido.
Menongue tem mais motorizadas que carros e todos estão a afluir em massa aos seus serviços, segundo explicou, classificando a situação de bastante positiva, em particular no que se refere àqueles que fazem serviço de táxi, também conhecidos por “Cupapatas”, porque são os que provocam mais acidentes na região.
Para o contrato de seguro automóvel nas coberturas básicas ou de responsabilidade civil destinadas às empresas, estas devem apresentar uma fotocópia do cartão de contribuinte, do livrete da viatura, do título de propriedade e da carta de condução do condutor que habitualmente conduz o carro em questão. Os particulares devem entregar fotocópias do bilhete de identidade, do livrete, do título de propriedade e da carta de condução. Em caso de acidente, para a cobertura dos danos, os clientes devem recorrer a um dos balcões da seguradora fazendo-se acompanhar da mesma documentação, incluindo uma cópia da factura de compra e venda da viatura. No caso de esta ter sido adquirida por intermédio de crédito bancário, o proprietário deve apresentar uma declaração do banco através do qual comprou o carro.
Paulo de Carvalho advertiu que todos os acidentes que forem provocados pelo facto do condutor estar embriagado e isto for devidamente confirmados por um especialista da polícia ou de saúde, a seguradora não se responsabiliza pelos danos provocados nem indemniza a viatura.
A concluir, disse que, graças ao bom estado em que se encontram as estradas entre Menongue e Huambo ou Bié, as pessoas que tiverem dificuldades em fazer o seu seguro nestas cidades podem dirigir-se ao Kuando-Kubango.

Tempo

Multimédia