Províncias

Água potável chega à comuna de Dongo

Estanislau Costa | Jamba

Mais de 15 mil habitantes da comuna do Dongo, município da Jamba, já consomem água potável, com a construção de um sistema de captação, tratamento e abastecimento.

O novo sistema de distribuição está a permitir que se diminua o índice de doenças provocadas pelo consumo de água imprópria
Fotografia: Arimateia Baptista |Jamba

O novo sistema de captação, gerido por uma equipa composta por quatro membros da comunidade, é composto por uma rede de distribuição domiciliar com 900 metros de extensão de conduta, reservatório, energia solar para alimentar a electro-bomba e tanques.
O director provincial de Energia e Águas da Huíla, Abel Costa, disse que a primeira captação, instalada na comuna do Dongo, contemplava apenas duas mil famílias e, com o aumento da população, começou haver um défice no abastecimento.
Afirmou que a execução do programa "Água para Todos" favoreceu a perfuração de um novo poço com maior caudal, a aquisição e montagem de equipamento e a escavação e a instalação de condutas ao longo da vila.
O responsável provincial explicou que os novos sistemas de captação instalados e os projectados para diversas localidades da província da Huíla são melhores, por armazenarem a água potável por um período mais longo, factor proporcionado pelo tipo de material de construção civil utilizado.
Abel Costa considerou que as localidades de Mbeu, Jango, Mampele, Chamutete e a sede do município da Jamba, possuem já sistemas de abastecimento de água potável capacitados para abastecer de 20 a 70 mil habitantes, o que tranquiliza as autoridades, por reduzir as doenças causadas pelo consumo de água imprópria. O soba grande do município da Jamba, Pedro Liandamo, disse que o facto de a água potável chegar às comunidades das zonas rurais da Jamba, provoca uma redução de doenças como diarreias, febre tifóide e sarna.
A autoridade tradicional disse que está a sensibilizar as famílias a consumirem apenas água tratada, no sentido de se evitarem doenças, e a necessidade da preservação dos equipamentos instalados pelo Governo Provincial.
O processo de sensibilização está a envolver também as escolas, confirmou o professor Francisco Manguembi. "Estamos a ensinar as crianças e os jovens a considerarem o património público como se fosse sua propriedade, para evitar a danificação dos equipamentos”.

Bairros abrangidos

Nos bairros do Cambambe e Mitcha, arredores da cidade do Lubango, foram entregues quatro sistemas de captação e distribuição de água potável, construídos com o propósito de encurtar as distâncias do absstecimento.
A entrega dos empreendimentos, pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipingue, contou com a presença de técnicos do Banco Mundial e entidades eclesiásticas.  O director da Energia e Águas da Huíla, Abel Costa, informou que a instalação de fontanários nos catorze municípios da província cria condições para aumentar o número de consumidores de água potável, de modo a responder às exigências da Organização Mundial da Saúde (OMS).
A capacidade de abastecimento por pessoa é actualmente de 24 litros por dia, faltando 16 litros para corresponder ao exigido pela OMS, disse Abel Costa, que revelou que foram feitas 16 prospecções na zona da Humpata para identificar novos lençóis freáticos.

Tempo

Multimédia