Províncias

Água potável chega às aldeias

Fernando Neto | Tomboco e Tatiana Marta | Huambo

No entroncamento da aldeia da Casa de Telha, com aproximadamente 870 habitantes, foi instalado um sistema de abastecimento, que inclui um chafariz com uma dezena de torneiras.

Populações das aldeias de Tomboco e de bairros periféricos do Huambo contam com novos sistemas de captação e distribuição de água potável
Fotografia: Eduardo Pedro

A aldeia passou a ter igualmente um tanque de dez mil litros para o armazenamento de água e uma placa solar que fornece energia ininterruptamente.
O governador provincial, Joanes André, que inaugurou estes empreendimentos, ofereceu aos habitantes da aldeia recipientes de 20 litros para poderem transportar a água do chafariz e poderem guardá-la em casa. O director provincial da Energia e Águas disse que o sistema de água ainda não satisfaz a procura e que por isso vão ser feitos mais três furos artesianos, que podem começar a funcionar dentro de dois meses.
António Mossito afirmou que os sistemas de água instalados nas várias aldeias têm capacidade para abastecer no máximo 350 pessoas e que no caso da Casa de Telha, que tem cerca de 870 habitantes, são precisos mais três.
O director provincial da Energia e Águas prometeu a instalação de mais painéis solares na Casa da Telha, “uma solução mais viável do que a de grupos geradores, que têm custos elevados com os combustíveis”.  Nos bairros de Santo António e Capango, na província do Huambo, foram inaugurados, pelo administrador municipal, dois sistemas de captação e distribuição de água potável.
José Marcelino anunciou que sistemas idênticos vão ser instalados nos restantes bairros da cidade onde se verificam carências de distribuição e que a iniciativa se destina a levar as pessoas a consumir água potável e a acabar com a frequência de algumas doenças. Os sistemas, que funcionam com painéis solares, são construídos no âmbito do programa  Água para Todos.

Tempo

Multimédia