Províncias

Alfabetizadores no Cunene com mais conhecimentos

Eulatério Silipuleni

Formadores, supervisores municipais e facilitadores do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE), num total de 53, frequentaram, de quarta-feira até ontem, em Ondjiva, um seminário de capacitação em matéria ligada à dinâmica metodológica das classes de aceleração, no âmbito da reforma educativa.

Aumenta o número de adultos interessados a aprender a ler
Fotografia: Contreiras Pipa | Ediçoes Novembro

Durante a acção formativa, promovida pela Direcção Provincial da Educação, Ciências e Tecnologia, os participantes aperfeiçoaram conhecimentos relacionados à alfabetização e metodologias que facilitam o cumprimento da função dos educadores, dinâmica metodológica das classes de aceleração e a utilização dos manuais para alfabetizarem.
O papel do professor e do aluno nas classes de aceleração, o registo matemático a partir de situações concretas do quotidiano, o papel do supervisor e a importância da orientação pedagógica foram também temas abordados durante a formação.
O chefe de departamento da Educação, Ambrósio Hisiduavali, lembrou que a política do regime colonial é a principal causa do elevado número de analfabetos em Angola. Ambrósio Hisiduavali disse que o seminário visa fazer com que os alfabetizadores e supervisores municipais estejam melhor preparados para exercer a profissão com eficácia.
O seminário foi orientado por professores  locais e analisou igualmente questõesligadas ao programa de alfabetização e aceleração escolar, técnicas de avaliação, alfabetização na nova era, a dinâmica das vogais e a merenda escolar.
“A acção formativa é uma base destinada a assegurar competências sobre as aprendizagens modulares do programa de alfabetização e aceleração escolar”, realçou Ambrósio Hisiduavali, que pediu aos alfabetizadores a materialização dos conhecimentos adquiridos.

Tempo

Multimédia