Províncias

Alunos do ensino secundário têm nova escola em Chipindo

Arão Martins | Chipindo

Um grupo de 1.296 alunos do II ciclo do ensino secundário passam a estudar em melhores condições  com a inauguração, ontem, de uma escola de 12 salas de aulas, no bairro Vingolo, arredores da sede municipal de Chipindo.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro


Inaugurada pelo governador provincial da Huíla, João Marcelino Tyipinge, a escola foi construída com fundos do Programa de Investimentos Públicos (PIP) do Governo,  numa superfície superior a três mil metros quadrados.
Em nome dos colegas, a aluna Josefina Guia disse que é com satisfação que os estudantes do município recebem a escola que vai leccionar  o II ciclo do ensino secundário. 
“Estamos alegres porque ganhamos um liceu, uma infra-estrutura que  permite que recebamos formação e contribuamos  para o engrandecimento da Nação”, disse Josefina, que explicou que agora os alunos que terminam a oitava classe já não precisam de deslocar-se  para outros municípios da província.

Futuras gerações

A aluna garantiu que ela e os colegas estão comprometidos em cuidar bem da escola, para   ela poder servir  as futuras gerações e  encorajou o Governo a continuar o seu programa de melhoria da vida das populações: “Queremos que se construam mais escolas, para tirar das condições precárias centenas de outros alunos no município de Chipindo.” O director municipal da Educação do Chipindo, Moises Canhina, reconheceu os avanços do sector no município que, em 2002, quando foi reposta a Administração do Estado,  não dispunha de escola: “Fruto das acções do Governo, foram construídas de raiz 11 estabelecimentos de ensino nas três comunas de Bunjei, Chipindo e Bambi”, disse Moisés Canhina.
O responsável informou que a par da construção de escolas definitivas, no quadro do programa de apoio às comunidades, foram igualmente construídas   45 estabelecimentos de ensino.
A situação também registou avanços para a classe docente. “Nunca tinham existido professores na região e, hoje o Governo, por intermédio de concursos públicos, dispõe de 757 agentes de ensino ao nível do Chipindo”, disse Moisés Canhina, que acrescentou que com estas acções, a municipalidade tem agora 41 mil alunos matriculados, embora ainda registe cerca de quatro mil crianças fora do sistema de ensino. O director da Educação Moisés Canhina revelou que  Chipindo ainda precisa de pelo menos 500 professores.

Formação de professores

O administrador municipal de Chipindo, Daniel Salupassa, disse que o Governo Provincial da Huíla aprovou um conjunto de projectos que visam a construção de mais escolas em localidades com maior densidade populacional.
Daniel Salupassa avançou que a formação e superação contínua dos professores e a expansão da rede escolar constituem um dos objectivos primordiais da Administração Municipal de Chipindo.

Tempo

Multimédia