Províncias

Alunos sem defender monografias

Alfredo Ferreira | Bengo

A maioria dos estudantes finalistas dos cursos ministrados na Escola Superior Pedagógica (ESP) do Bengo, num total de 408, continuam sem defender os seus trabalhos de fim de curso, por razões desconhecidas pela direcção da instituição académica, denunciou em Caxito, a vice-governadora provincial para a área Política e Social.

Maria Peixoto disse que, até agora, apenas 37 estudantes finalistas defenderam as suas monografias, situação que está a preocupar o Governo do Bengo, numa altura em que as autoridades locais estão a apostar em técnicos superiores, para preenchimento de vagas nos diversos sectores da província.
A vice-governadora informou que, por este motivo, o governo solicitou à direcção da escola e aos professores, para conduzirem os trabalhos do fim de curso dos estudantes, dado os constrangimentos registados. Maria Peixoto disse que o melhoramento e o fortalecimento público do ensino superior precisa da atenção não só do Estado, que investe fundamentalmente na formação do homem, como também de outras forças vivas da sociedade para atingir um ensino universitário de excelência. A responsável referiu que o governo deu prioridade ao ensino superior como forma de incentivar, dinamizar e qualificar permanentemente o pessoal docente com ferramentas técnicas e científicas.
O director da Escola Superior Pedagógica do Bengo, Silvério Adriano Major, informou que, neste ano académico, a instituição vai lançar a revista “Ngando Ciência”, melhorar a casa de trânsito, aumentar o número de viagens do transporte escolar e abrir a cantina.
O académico salientou que a instituição vai dar ainda continuação ao processo de formação dos docentes, promover seminários para a superação dos docentes e jornadas científicas. Silvério Major aconselhou os novos estudantes a encararem com responsabilidade o ensino superior, para que tenham êxitos na formação.
As aulas na escola vão ser ministradas por 57 professores, sendo 23 colaboradores. Este ano, a instituição matriculou 500 novos estudantes nos cursos de História, Matemática, Língua Portuguesa, Pedagogia e Psicologia.

Tempo

Multimédia