Províncias

Andulo assinala aniversário à caminho do crescimento

José Chaves | Andulo

Harmonia e tranquilidade são visíveis nas ruas do Andulo, na província do Bié, numa altura em que se assinala mais um aniversário, o 48º. Andulo ascendeu à categoria de cidade num dia como hoje, 13, no longínquo ano de 1971.

Município do Andulo completa 48 anos da sua existência
Fotografia: DR

As ruas estão engalanadas, com destaque para as cores da bandeira nacional. Há grande movimentação de pessoas e de viaturas.
Na zona periférica da cidade o ambiente é literalmente de festa. Há música nas barracas e bancadas montadas às portas das casas e no recinto da feira municipal.
A localização geográfica e estratégica fez do município do Andulo uma zona de disputa durante a guerra e, por essas circunstâncias, muitas acções que visavam o seu crescimento e desenvolvimento foram obstruídas.
O município do Andulo, depois de vários anos adormecido, começa a refazer-se dos escombros do conflito armado que o país viveu durante muito tempo.
Hoje já são visíveis os sinais de crescimento, com a construção de várias infra-estruturas sociais como escolas, centros de saúde, residências para médicos, enfermeiros, casas para a juventude, sistemas de captação e fornecimento de água potável, energia eléctrica, enquanto no domínio económico assinala-se a reactivação de vários projectos agrícolas e a criação de novos.
A administradora municipal do Andulo, Celeste Adolfo, recorda que, com o alcance da paz definitiva, em 2002, o Governo criou programas que estão a permitir resgatar o potencial agro-pecuário a nível nacional.
“Hoje temos um número considerável de infra-estruturas, umas construídas de raiz e outras recuperadas, enquanto a estrada para o Andulo está a ser reparada, possibilitando aos automobilistas e aos turistas uma viagem tranquila”, refere Celeste Adolfo, que destaca a abertura de uma nova unidade sanitária e uma escola primária, de quatro salas de aula, na povoação de Ulimba, na comuna de Calussinga.
Para a satisfação dos habitantes, o município tem uma centralidade com 172 apartamentos, dos mil previstos.
A centralidade conta com prédios de quatro pisos, bem como moradias de dois e um piso. Foi erguida pelo Governo, no âmbito do programa “Meu Sonho, Minha Casa”, em parceria com a Kora-Angola.
Durante as festas em prol da efeméride, que vão até ao próximo dia 31, foram agendadas diversas actividades, com destaque para inaugurações de várias infra-estruturas sociais, realização de uma feira agro-pecuária e actividades culturais, desportivas e recreativas.

Energia e água

Bernardo Nicolau, regedor municipal do Andulo, apesar de reconhecer os sinais de crescimento da região, defende melhorias nos sectores da energia e da água.
Para o munícipe Wilson Epalanga, residente no bairro Massinde, Andulo está a crescer, mas a população clama pela melhoria do abastecimento de água e de energia eléctrica.
“Estamos a passar mal, porque não há fornecimento de energia eléctrica pública e domiciliar regular, nem de água potável. Aqui cada um tem o seu gerador ou não tem luz”, disse Wilson Epalanga, acrescentando que o Andulo possui um grande potencial turístico, que aguarda por investidores.
Na região destacam-se as famosas águas termais de Tchitukuta, na localidade de Chilesso, comuna de Chivaulo, e as quedas do Andulo, que estão estampadas nas notas de 500 kwanzas da moeda nacional.
A região possui igualmente um grande potencial hídrico, com destaque para os rios Kwanza, Cunene, Cunhinga, Cutato e outros. A população, maioritariamente camponesa, está estimada em mais de 234 mil habitantes, dados do último censo realizado em 2014. Andulo tem quatro comunas (sede, Calussinga, Chivaulo e Cassumbe).

Tempo

Multimédia