Províncias

Antigo magistério reabre este ano lectivo

Victória Quintas| Cuima

O antigo Magistério Primário Teófilo Duarte, na comuna do Cuima, município da Caála, reabre este ano lectivo, 30 anos depois da sua paralisação.

Escola Teófilo Duarte paralisada durante o conflito armado é propriedade da Igreja Católica
Fotografia: Victória Quintas

O vice-governador da província do Huambo para o Sector Político e Social, Guilherme Tuluca, garantiu que a escola está pronta para receber os primeiros alunos.
Com capacidade para acolher em regime de internato 220 alunos, o estabelecimento de ensino dispõe de dez salas, das quais duas de informática, um anfiteatro, campo desportivo, dormitórios, sala de enfermagem e refeitório.
A escola, vocacionada para a formação de professores, recebe, numa primeira fase, 90  alunos já matriculados.  
A escola Teófilo Duarte, paralisada em 1984, por altura do conflito armado, é propriedade da Igreja Católica. O vice-governador Guilherme Tuluca garantiu que o governo vai manter a direcção sob responsabilidade da Igreja Católica e a parte pedagógica é entregue à Educação.  
Localizada a 85 quilómetros da cidade do Huambo, a instituição foi fundada em Outubro de 1949, pelo então ministro português das Colónias, capitão Teófilo Duarte, e na altura ministrava cursos de língua portuguesa, geografia, história e aritmética.  
Disciplinas como religião e moral, desenho, organização escolar, práticas de agricultura, pecuária, noções de enfermagem e didáctica geral, constituíam o currículo de formação de professores.
Na sua visita, o vice-governador do Huambo para o Sector Político e Social, Guilherme Tuluca, deslocou-se à comuna da Catata, no mesmo município, onde constatou o grau de execução da futura escola politécnica.   
A estrutura, com oito salas já concluídas, vai receber neste ano lectivo 400 alunos do ensino médio. O responsável da repartição da Educação no município da Caála, Mateus Chimbamba, disse que a intenção é ampliar a escola para 20 salas, de modo a responder às ­necessidades da comuna da Catata.O município da Caála possui 374 salas para acolher  um universo de 95 mil alunos, matriculados no presente ano lectivo e conta com 2.471 professores. 
 O responsável da repartição da Educação no município da Caála lamentou o facto de existirem ainda 639 crianças fora do sistema normal de ensino, mas garantiu estarem a ser feitos esforços para acabar com essa situação anormal.
“Estamos a trabalhar parase  ultrapassar este problema que tem nos preocupado bastante. Para isso, a toda necessidade de aumentar mais salas”, disse.

Tempo

Multimédia