Províncias

Antigos combatentes clamam por apoios

Nicolau Vasco

Pelo menos 1.436 processos de antigos combatentes, vi­úvas, órfãos e deficientes de guerra, na província do Cuando Cubango, pendentes há mais de dois anos, aguardam pela sua homologação junto do Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria.

Cuando Cubango controla mais de 12 mil pensionistas
Fotografia: Edmundo Eucílio | Ediçõs Novembro

O director provincial do referido departamento ministerial, João Barata, disse ser triste e lamentável o estado deplorável em que se encontram estas pessoas, “que todos os dias batem as nossas portas, na ânsia de verem a sua situação resolvida”.
De acordo com João Paulo Barata, que falava segunda-feira, por ocasião do 15 de Janeiro, Dia do Antigo Combatente, a instituição controla 12.189 pensionistas, entre antigos combatentes, viúvas, órfãos e deficientes de guerra, que beneficiam de uma pensão mensal que vai dos 19.631 aos 23.558 kwanzas.
Para 2018, está em carteira um projecto de construção de 200 residências no município de Menongue, para os antigos combatentes e um outro no domínio da agricultura, que será implementado inicialmente no Cuchi, para garantir o sustento dos assistidos.  
Defendeu a necessidade do Governo da província im­plementar mais programas agro-pecuários, de piscicultura, avicultura, entre outros, para que as pessoas não sejam tão dependentes da pensão.
A vice-governadora para o sector Político, Social e Económico, Sara Mateus, disse que o Governo  vai fazer tudo que está ao seu alcance para que a Direcção Provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria possa beneficiar de inputs agrícolas e outros incentivos para o bem-estar dos assistidos.
Durante o acto que decorreu sob o lema “Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria Orgulho do Povo Angolano”, Sara Mateus disse que o programa de governação do MPLA contempla vários benefícios para os Antigos Combatentes e “nós vamos materializar estas acções, de modo gradual, tendo em atenção a crise económica que vivemos”, sublinhou, acrescentando que “estamos apostados na melhoria do modo de vida de todos que derramaram o seu sangue na defesa da pátria”.

Tempo

Multimédia